Guia gratuito da OMS com diretrizes para combate à infecção e resistência antibiótica

Para prevenir infeção, novas diretrizes dizem que tomar banho é mais importante que raspar os pelos antes de uma cirurgia e que os antibióticos devem ser usados antes e durante o procedimento cirúrgico, não depois.

Todo paciente que for se submeter a uma intervenção cirúrgica deve tomar um banho ou ducha antes de entrar na sala de operação, em vez de simplesmente retirar os pelos da área em questão, de acordo com novas diretrizes da OMS – Organização Mundial de Saúde.
De acordo com os novos guidelines, os antibióticos devem ser usados para prevenir infecções antes e durante o procedimento cirúrgico, e não depois.
As “Diretrizes Globais para Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico” incluem uma lista com 29 recomendações específicas elaboradas pelos maiores especialistas no assunto do mundo a partir das 26 evidências mais recentes. O objetivo das recomendações é abordar a crescente carga de infecções associadas aos cuidados de saúde para os pacientes e o sistema de saúde. “Ninguém deve ficar doente enquanto busca ou recebe cuidados médicos”, diz a Dra. Marie-Paule Kieny, diretor geral adjunto para os Sistemas de Saúde e da Inovação da OMS.
Prevenção de infecções antes, durante e após a cirurgia

As diretrizes incluem 13 recomendações para o período antes da cirurgia e 16 para a prevenção de infecções durante e após o procedimento cirúrgico. Elas vão desde simples precauções, como garantir que os pacientes tomem banho antes da operação e qual a melhor maneira para as equipes cirúrgicas limparem as mãos, até a orientação ideal sobre quando usar antibióticos para prevenir infecções, que desinfetantes usar antes da incisão e quais suturas usar em cada caso.

As novas diretrizes recomendam que os antibióticos sejam usados para impedir infecções somente antes e durante a cirurgia, uma medida crucial parar a propagação da resistência antibiótica.

As novas diretrizes da OMS são válidas para qualquer país e adequadas a adaptações locais, pois levam em conta as evidências científicas disponíveis, as implicações de custo e recursos e os valores e preferências dos pacientes. Elas complementam o popular “Checklist de Cirurgia Segura”, da OMS, que indica uma ampla gama de medidas de segurança, dando recomendações mais detalhadas sobre a prevenção de infecções.

Acesse aqui o Guia “Global Guidelines for the Prevention of Surgical Site Infection”– (versão em inglês).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s