Plataforma de Imagem na Sala de Autópsia PISA abre para visitação

A Plataforma de Imagem na Sala de Autópsia PISA, abre visitação para visita monitorada do único equipamento de Ressonância Magnética (RM) de ultra alto campo da América Latina.

A visita pode ser realizada no dia 18/12/2017, segunda–feira, e tem aproximadamente 40 minutos de duração.

As visitas serão realizadas às 7h30, 9h30, 11h30, 13h00, 14h30 e 16h00.

É necessário chegar com 15 minutos de antecedência para preenchimento do questionário de segurança.

saiba mais…

Mais informações pelo telefone (11) 3061-7487 ou e-mail: pisa@hc.fm.usp.br

Fonte: FMUSP

 

Anúncios

USP recebe Prêmio Quiz Web of Science Brasil 2017

Prêmio Quiz Web of Science Brasil 2017 recebido pela Universidade de São Paulo como instituição com a maior participação na enquete demonstra envolvimento da comunidade com a Base de Dados Bibliográfica Web of Science.

     

Durante o evento promovido hoje (15) pela Clarivate Analytics (antiga Thomson Reuters), “Workshop Web of Science e Integrity São Paulo”, que teve como objetivo discutir como as ferramentas analíticas podem auxiliar no aprimoramento da pesquisa acadêmica e científica, a equipe do SIBiUSP recebeu o Certificado.

 

A Web of Science é uma base multidisciplinar que indexa somente os periódicos mais citados em suas respectivas áreas. É também um índice de citações, informando, para cada artigo, os documentos por ele citados e os documentos que o citaram.

A Web of Science possui hoje mais de 9.000 periódicos indexados. É composta por: Science Citation Index Expanded (SCI-EXPANDED): 1945 até o presente; Social Sciences Citation Index: 1956 até o presente; Arts and Humanities Citation Index: 1975 até o presente. A partir de 2012 o conteúdo foi ampliado com a inclusão do Conference Proceedings Citation Index- Science (CPCI-S); Conference Proceedings Citation Index- Social Science & Humanities (CPCI-SSH).

Disponível pelo Portal de Periódicos da Capes

Fonte: SIBiUSP

Fiocruz participa de estudo que testará novo anticorpo para prevenção do HIV

Instituto ligado à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) é responsável pela coordenação da parte brasileira do estudo 

______________________________

 

Nomeado com a sigla A.M.P (Anticorpos Mediando Prevenção), o estudo promete combater 90% dos subtipos do HIV. A ideia é utilizar um anticorpo neutralizante, feito em laboratório e aplicado na veia.

Ao todo, estão previstas as participações de 2.700 voluntários nas Américas do Norte e do Sul e 1.500 na África Subsariana. Nos Estados Unidos, o recrutamento começou em março de 2016. Já no Brasil, os voluntários começaram a se apresentar em março de 2017. Atualmente, são 80 voluntários em território nacional, com meta de 140 até maio do ano que vem.

“No momento estamos recrutando os voluntários para a pesquisa. Pessoas saudáveis, entre 18 a 50 anos e que se identifiquem como gays, bissexuais, travestis, mulheres ou homens transexuais podem participar. O participante virá até a clínica cerca de uma vez a cada quatro semanas para exames e consultas e receberá uma infusão do anticorpo a cada oito semanas”, explicou a coordenadora do projeto no Brasil, Brenda Hoagland.

Vacina

Segundo o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz), o estudo é mais um passo para se chegar a uma vacina eficiente contra o HIV. Isso porque os resultados da pesquisa podem trazer aos cientistas um melhor entendimento de como o anticorpo funciona.

O A.M.P. é fruto de parceria com centros de pesquisa de variados países com o HIV Vaccine Trials Network (HVTN) e o HIV Prevention Trials Network (HPTN).

Boletim Epidemiológico

Boletim Epidemiológico de HIV/Aids, divulgado no início de dezembro em Cutiriba (PR), revela que os casos de Aids e a mortalidade provocada pela epidemia estão caindo no Brasil. Segundo dados da publicação, em 2016 a taxa foi de 18,5 casos por 100 mil habitantes – uma redução de 5,2% em relação a 2015, quando era registrado 19,5 casos. Já no número de mortes houve queda de 7,2%, a partir de 2014. Os resultados vão de encontro ao período em que foi ampliado o acesso ao tratamento em todo o País.

Segundo o Ministério da Saúde, as políticas de assistência ampliaram o diagnóstico do HIV, diminuíram o tempo para iniciar o tratamento e, consequentemente, aumentaram o número de pessoas recebendo a terapia antirretroviral.

Fonte: Canal Saúde / Fiocruz

MBA gestão de Inovação em Saúde

O Instituto Butantan está com inscrições abertas, até 19 de dezembro para curso de MBA Gestão da Inovação em Saúde.

São oferecidas 60 vagas para pesquisadores interessados em pesquisa aplicada, empreendedores e investidores interessados na área da Saúde. A carga horária é de 645 horas (360 horas presenciais e 285 horas de trabalho a distância) com duração de 18 meses.

Com formato semipresencial, o curso é interativo e está estruturado para o desenvolvimento teórico e prático de profissionais, para que possam gerenciar todas as etapas do processo de inovação em saúde. Os encontros presenciais ocorrem mensalmente no Instituto Butantan e são complementados por conteúdos disponibilizados na internet e atividades realizadas a distância.

O objetivo do curso é capacitar profissionais para atuar nas áreas de inovação, gestão estratégica, novos negócios, produtos ou serviços e para transformar pesquisas científicas em produtos inovadores na área de saúde, estimulando tratamentos de doenças com novos fármacos, diagnósticos, tratamentos cirúrgicos, terapêuticos, além de novos equipamentos.

Clique aqui para realizar a inscrição.

Fonte: Instituto da Saúde

Resultado do Prêmio Capes de Tese de 2017

O Grande Prêmio Capes de Tese 2017 anunciou as pesquisas vencedoras: Amanda Costa Thomé Travincas com a tese “A tutela jurídica da liberdade acadêmica no Brasil: a liberdade de ensinar e seus limites”, da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS); Mychael Vinícius da Costa Lourenço, com a tese “Mecanismos de estresse neuronal, disfunção sináptica e neuroproteção em modelos experimentais da Doença de Alzheimer”, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); e Tiago Barbin Batalhão, com a tese “Avanços teóricos e experimentais em Termodinâmica Quântica” da Universidade Federal do ABC (UFABC). O anúncio foi feito na cerimônia de premiação, em Brasília, no dia 7 de dezembro de 2017.

O Prêmio teve cinco pesquisas com apoio FAPESP selecionadas entre as melhores teses de doutorado defendidas no Brasil no ano de 2016. As teses selecionadas com financiamento da FAPESP foram: “Detecção e eliminação de ruídos para problemas de classificação”, por Luís Paulo Faina Garcia (Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação da USP de São Carlos);“Hurdles and potentials in value-added use of peanut and grape by-products as sources of phenolic compounds”, por Adriano Costa de Camargo (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz – Esalq – da USP); “Mudanças climáticas: impactos na produtividade e adaptações necessárias ao cultivo da soja na região Centro-Sul do Brasil”, por Rafael Battisti (Esalq-USP); “Associação da expressão de CD39 em células Tregs com a eficácia terapêutica do metotrexato no tratamento da artrite reumatoide”, por Raphael Sanches Peres (Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP); e “Estrutura eletrônica de materiais orgânicos para aplicações em camadas ativas de células solares”, por Eliezer Fernando de Oliveira (Faculdade de Ciências da Unesp).

O Prêmio consiste em diploma, medalha e bolsa de pós-doutorado nacional de até 12 meses para o autor da tese; auxílio para participação em congresso nacional, para o orientador, no valor de R$ 3 mil; distinção a ser outorgada ao orientador, coorientador e ao programa em que foi defendida a tese; além de passagem aérea e diária para o autor e um dos orientadores da tese premiada para que compareçam à cerimônia de premiação.

Já o Grande Prêmio, que teve as três teses vencedores, consiste em certificado de premiação, troféu e bolsa de pós-doutorado internacional de até 12 meses para o autor da tese; auxílio para uma participação em congresso internacional, para o orientador, no valor de R$ 9 mil; certificado de premiação ao orientador, coorientador e ao programa em que foi defendida a tese; e passagem aérea e diária para o autor e um dos orientadores da tese premiada para que compareçam à cerimônia de premiação. Pela Fundação Conrado Wessel, são oferecidos três prêmios no valor de US$ 15 mil cada um para cada premiado nas três grandes áreas.

A lista completa das teses selecionadas do Prêmio está disponível no site da Capes.

Para mais informações sobre a premiação acesse: http://www.capes.gov.br/sala-de-imprensa/noticias/8670-premio-capes-de-tese-2017-consagra-melhores-trabalhos-de-doutorado-do-pais.

Fonte: FAPESP