Treinamento EndNote Web

A Biblioteca oferece, dia 03/05/2019, das 9 às 12hrs o treinamento EndNote Web.

O evento é direcionado a pós-graduandos, pesquisadores, residentes, médicos e interessados em geral.

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas no link: https://doity.com.br/treinamento-endnote-web-03-05-2019

Rastreamento do câncer colorretal

O rastreamento do câncer colorretal é recomendado a partir dos 50 anos nos Estados Unidos. Estudo realizado com idosos do sistema de saúde Veterans Affairs mostrou que a colonoscopia reduz a mortalidade por câncer colorretal em até 70%.

Porém o Dr. Michael Bretthauer, médico da Universitetet i Oslo, na Noruega, pesquisador responsável por um estudo populacional sobre o rastreamento de câncer colorretal realizado em Polônia, Noruega, Holanda e Suécia diz que os resultados interinos deste estudo, publicados em 2016, indicaram que 0,5% dos mais de 31.000 participantes submetidos à colonoscopia para rastreamento tinham câncer colorretal. Além disso, cerca de 30% dos participantes tinham adenomas, e quase metade tinha algum tipo de pólipo.

Já se sabe que a maioria dos tumores evolui a partir de adenomas benignos, e já se demonstrou que a retirada deles durante a colonoscopia previne cerca de 80% dos casos de câncer.

No entanto, muitos participantes do estudo feito pelo Dr. Michael e colaboradores se recusaram a fazer a colonoscopia. A aceitação variou de cerca de 23% (a mais baixa) na Holanda até cerca de 61% (a mais alta) na Noruega.

As diretrizes europeias ainda não recomendam a colonoscopia como estratégia de rastreamento para pessoas de risco médio.

Nos Estados Unidos, é muito provável que a colonoscopia continue a ser o método predominante de rastreamento do câncer colorretal, independentemente dos resultados dos estudos randomizados.

Embora as evidências dos estudos randomizados sejam ansiosamente aguardadas por todos aqueles que têm interesse em manter baixa a incidência do câncer colorretal, a comunidade médica nos Estados Unidos já está convencida de que a colonoscopia é o único caminho a seguir.

Dr. Michael Bretthauer é membro do conselho científico da Exact Sciences e recebeu financiamento para equipamentos para estudos da Olympus, Fujinon, Falk Pharma e CCS Healthcare. 

saiba mais…

Fonte: Medscape

Voluntários para tratamento no Instituto de Psiquiatria

voluntarioAbaixo segue a relação de triagens vigentes para este ano (2019) no Instituto de Psiquiatria do HC-FMUSP.  Os tratamentos são gratuitos para diferentes transtornos neuropsiquiátricos:

1. Voluntários com depressão, a partir de 60 anos
Homens e mulheres a partir de 60 anos, que apresentem diagnóstico de depressão e tenham disponibilidade em comparecer ao IPq durante 20 (vinte) dias úteis seguidos, e depois uma vez por semana, durante três meses, para estudo no qual será oferecido tratamento por meio de estimulação magnética transcraniana (EMTr), técnica não invasiva, que utiliza campos magnéticos para estimular pequenas regiões do cérebro. Obs.: Necessário nunca ter feito tratamento com EMTr anteriormente. Não serão aceitos pacientes com demências. Inscrições para triagem pelo e-mail: pesquisa.neuropsiquiatria@gmail.com

2. Depressão unipolar
Homens e mulheres de 18 a 59 anos, portadores de transtornos depressivos unipolares, para tratamento e participação em projeto de pesquisa – coordenação: Dr. Fernando Fernandes. Para se inscrever, preencher o formulário no site: https://grudacom.wordpress.com/

3. Pessoas obesas, com sintomas de depressão
O Departamento de Nutrição da Faculdade de Saúde Pública da USP, em parceria com o IPq, está selecionando pacientes voluntários de ambos os sexos, de 18 a 50 anos, que apresentem sintomas de depressão e obesidade, para estudo que investiga a relação entre depressão e obesidade. Serão oferecidos tratamento psiquiátrico e acompanhamento nutricional, além de exames de grande relevância clínica, que não são feitos rotineiramente. Inscrições e informações no site: https://neurofatusp.wixsite.com/neurofat

4. Voluntários com depressão que não tenham apresentado resposta ao tratamento medicamentoso
Homens e mulheres de 18 a 65 anos, com diagnóstico de depressão (transtorno bipolar ou transtorno depressivo maior), que estejam fazendo uso regular de medicamento (antidepressivo e/ou estabilizador de humor), e que não tenham apresentado resposta satisfatória ao tratamento realizado no momento, para projeto de pesquisa no qual será aplicada a estimulação magnética transcraniana (EMT) para potencialização do tratamento da depressão. Informações e inscrições no site:
https://grudacom.wordpress.com/aibip/

5. Gestantes e mulheres no pós-parto, com depressão
Gestantes de 18 a 45 anos, com quadros de depressão e ansiedade, e mulheres até o 6º mês do período pós-parto, de 18 a 45 anos, com quadro de depressão pós-parto. Informações e agendamento de triagem pelo tel. 11 2661-6440.

6. Mulheres dependentes químicas
Maiores de 18 anos, que apresentem dependência em álcool, crack ou cocaína, para tratamento em ambulatório específico para mulheres. O tratamento inclui atendimento médico/psiquiátrico, psicoterapia de grupo, atendimento nutricional e aconselhamento com advogados. Inscrições e informações fone: (11) 3082-1876, somente de segunda a quinta-feira, às 14h. Mais informações sobre o ambulatório: www.mulherdependentequimica.com.br

7. TOC
Homens e mulheres de 18 a 50 anos, com transtorno obsessivo-compulsivo – TOC, que não estejam medicados / fazendo uso de medicação para o TOC, de 18 a 50 anos, para estudo que avaliará a influência de fatores como traumas, religiosidade e situação socioeconômica no desenvolvimento do transtorno, e também pretende identificar marcadores cerebrais associados ao transtorno. Os pacientes poderão receber tratamento gratuito e terão ajuda de custo para transporte e lanche. Será fornecida declaração de comparecimento. Informações e inscrições para triagem pelo e-mail: protoc.projeto@gmail.com

8. Estresse pós-traumático
Voluntários de 18 a 65 anos, que tenham vivenciado ou presenciado eventos traumáticos em qualquer momento da vida e que ainda se encontrem emocionalmente abalados. Serão oferecidos tratamentos médico e psicológico. Informações e inscrições – e-mail: novasestrategias.ipq@hc.fm.usp.br

9. Crianças com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade – TDAH
Crianças entre 3 anos e 11 meses e 5 anos e 11 meses, que apresentem agitação e desatenção. Se confirmado diagnóstico de transtorno de déficit de atenção e hiperatividade -TDAH, o paciente será incluído em protocolo de tratamento. Informações e inscrições no site: www.estudomappa.com.br – 11 2661-7895, para inscrições – e-mail contato@estudomappa.com.br

10. Epilepsia
Triagens abertas para homens e mulheres, da infância à fase adulta, que apresentem os seguintes tipos de epilepsia: epilepsia rolândica, epilepsia mioclônica juvenil e epilepsia de lobo temporal. Informações completas e inscrições no site: www.epilepsiahc.org ou tel. 11 2661-6518.

11. Voluntários com doença de Parkinson
A Neurocirurgia Funcional do IPq busca homens e mulheres, maiores de 18 anos, com diagnóstico de doença de Parkinson, que apresentem episódios de congelamento (freezing) da marcha não controlados pelas medicações, para estudo no qual será oferecido tratamento de alterações de marcha por meio de estimulação da medula espinhal. Informações e inscrições com os pesquisadores: Dr. Rafael Carra – e-mail: rafaelbcarra@gmail.com, Dra. Janaína Menezes – e-mail: jana-reis@hotmail.com ou Dr. Rubens Cury – e-mail: rubens_cury@usp.br

12. Esquizofrenia – pacientes resistentes a clozapina
O Programa de Esquizofrenia (Projesq), busca pacientes voluntários de 18 a 59 anos, com diagnóstico de esquizofrenia e que estejam em tratamento com clozapina há pelo menos seis meses, sem resposta satisfatória ao tratamento, ou seja, pacientes considerados resistentes a clozapina. Informações e inscrições pelo e-mail: josynacarato@gmail.com ou tel. (11) 2661-6971.

13. Jogo patológico
Pessoas maiores de 18 anos, que apresentem compulsão por jogos de azar, a ponto de prejudicar seu trabalho, finanças ou relacionamentos. Inscrições para triagem pelos tels. (11) 2661-7805, (11) 2307-7805 ou e-mail: proamjo.secretaria@gmail.com

14. Transtorno de escoriação
Homens e mulheres maiores de 18 anos, que apresentem transtorno de escoriação, síndrome que leva as pessoas a cutucarem a pele compulsivamente, provocando lesões em diferentes graus, em várias partes do corpo. Os interessados podem se inscrever para triagem pelo fone 11 26617805 ou e-mail: proamiti.secretaria@gmail.com

15. Compra compulsiva
Pessoas maiores de 18 anos, que apresentem comportamento repetitivo e crônico de gastar descontroladamente. Esses indivíduos também podem apresentar outros transtornos associados, como ansiedade, depressão e transtorno bipolar. Informações e inscrições tel. 11 2661-7805 ou e-mail: proamiti.secretaria@gmail.com

16. Furto impulsivo (cleptomania)
Transtorno caracterizado pelo furto impulsivo de objetos desnecessários, geralmente para uso pessoal e de baixo valor monetário. O tratamento oferecido é individual, reservado e inclui psicoterapia e medicamentos. Informações e inscrições pelo tel. 11 2661-7805 ou e-mail: proamiti.secretaria@gmail.com

17. Amor patológico
Pessoas maiores de 18 anos, que vivenciem um relacionamento destrutivo, caracterizado pela atenção e cuidado excessivos com o parceiro, sem controle e sem liberdade de escolha, no qual o indivíduo é objeto prioritário na vida da pessoa, em detrimento de outros interesses antes valorizados. Informações e inscrições pelo tel. 11 26617805 ou e-mail: proamiti.secretaria@gmail.com

18. Ciúme patológico
Pessoas maiores de 18 anos, que percebam que seu ciúme prejudica o relacionamento amoroso de alguma forma, sendo motivo de brigas ou discussões, com queixas e reclamações sobre o ciúme excessivo do/a parceiro/a. Informações e inscrições tel. 11 26617805 ou e-mail: proamiti.secretaria@gmail.com

19. Automutilação
Pessoas maiores de 18 anos, que pratiquem autolesão, sem ideação suicida. Informações e inscrições tel. (11) 2661-7805 ou e-mail: proamiti.secretaria@gmail.com

20. Transtorno explosivo intermitente (pavio curto)
Homens e mulheres maiores de 18 anos, que apresentem episódios de explosões de raiva recorrentes. Informações e inscrições tel. (11) 2661-7805 – e-mail: proamiti.secretaria@gmail.com

21. Tricotilomania
Pessoas maiores de 18 anos, que apresentem compulsão por arrancar cabelos e/ou outros pelos do corpo. Informações e inscrições tel. (11) 2661-7805 ou e-mail: proamiti.secretaria@gmail.com

22. Impulso sexual excessivo
Homens e mulheres maiores de 18 anos, que apresentem comportamento sexual impulsivo. Informações e inscrições tel. (11) 2661-7805 ou e-mail: proamiti.secretaria@gmail.com

23. Dependência tecnológica
Homens e mulheres maiores de 18 anos, que passem horas excessivas conectados à internet, em detrimento da vida social, família, trabalho, etc. Informações e inscrições tel. (11) 2661-7805 ou e-mail: proamiti.secretaria@gmail

24. Dependência de comida
Homens e mulheres maiores de 18 anos, com comportamento alimentar compulsivo. Informações e inscrições tel. (11) 2661-7805 ou e-mail: proamiti.secretaria@gmail.com

25. Psicoterapia em grupo para homossexuais masculinos a partir de 50 anos
O IPq dispõe de vagas para homossexuais masculinos, a partir de 50 anos, que queiram participar de grupo de psicoterapia que aborda questões emocionais e afetivas, aspectos do comportamento sexual na maturidade, questões relacionadas à família, bem como assuntos relativos ao trabalho, carreira e desenvolvimento profissional. Coordenação: Psicólogas Dorli Kamkhagi, Ana Carolina Costa e equipe. Inscrições pelo e-mail: grupodepsicoterapialim27@gmail.com

26. Voluntários saudáveis – Homens e mulheres, de 18 a 65 anos, sem história prévia de transtorno psiquiátrico, para participar de estudo sobre a resposta de medo, com o objetivo de ajudar a entender porque algumas pessoas desenvolvem sintomas ansiosos que podem fazer parte de diversos transtornos psiquiátricos, inclusive do transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). O voluntário comparecerá ao hospital apenas dois dias, para entrevista com os pesquisadores, exame de ressonância magnética, coleta de sangue e um experimento de medo condicionado. Serão fornecidos comprovante de comparecimento e ajuda de custo para transporte e alimentação. Informações e inscrições com a Dra. Juliana Diniz – e-mail: julianadiniz@usp.br

27. Voluntários saudáveis – Pessoas a partir de 18 anos, que não apresentem transtornos psiquiátricos, não tenham queixas de problemas de memória e não estejam fazendo uso de medicações psicoativas, para participar de estudo cujo um dos aspectos é a comparação entre pessoas saudáveis e pacientes com doença de Alzheimer, transtorno bipolar, esquizofrenia e outras. Os voluntários virão ao IPq apenas duas vezes e receberão ajuda de custo para transporte e lanche. Informações e inscrições pelos fones: (11) 2661-7283 (com Daniela); (11) 2661-6959 (com Amanda).

28. Voluntários saudáveis – Homens e mulheres de 18 a 50 anos, que não apresentem transtornos psiquiátricos ou doenças crônicas, para participar como grupo-controle/comparação de pesquisa que avaliará a influência de fatores como traumas, religiosidade e situação socioeconômica no desenvolvimento do transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Os participantes virão ao IPq apenas 3 vezes, para avaliação clínica, teste neuropsicológico e exame de ressonância magnética do cérebro, recebendo depois os resultados desses exames. Serão fornecidas ajuda de custo para transporte, lanche e declaração de comparecimento. Inscrições pelo e-mail: protoc.projeto@gmail.com

29. Voluntários saudáveis – Pessoas maiores de 18 anos, que não tenham depressão, doença clínica não estabilizada (diabetes, hipertireoidismo, lúpus, etc.) e não façam uso de polivitamínicos ou qualquer medicamento psiquiátrico, para participar de estudo no qual será oferecido um check-up composto por exames laboratoriais (sangue e urina),eletrocardiograma e avaliação da dieta habitual. Os resultados, que incluem avaliação dos níveis de vitamina B12, ácido fólico e selênio, serão repassados aos participantes gratuitamente. Informações e inscrições tel. 11 2661-7804, de 2ª a 6ª, das 9h às 13h, ou pelo e-mail: psicofarmacologia.aplicada@gmail.com

Fonte: IPq/HC-FMUSP

Estudo mostra hábitos associados a 20 tipos de câncer

O vídeo da reportagem do Jornal da Cultura 1ª Edição, da TV Cultura, sobre estudo epidemiológico mostra que tabagismo, consumo de álcool, excesso de peso, alimentação não saudável e falta de atividade física são os fatores de risco associados a um terço das mortes causadas por 20 tipos de câncer no Brasil.

O trabalho indica que, do total dos casos de câncer anuais no Brasil, pelo menos 114 mil (27% do total) poderiam ser evitados com um estilo de vida mais saudável. Quanto às mortes causadas pela doença, 63 mil vidas (34% do total) poderiam ser poupadas.

Entre os autores do artigo publicado na revista Cancer Epidemiology estão pesquisadores da Universidade de Harvard e da Faculdade de Medicina da USP, entre eles pesquisadores e bolsistas apoiados pela FAPESP em diversas modalidades.

Fonte: FAPESP

Evento na FSP/USP aborda doenças transmitidas por gatos

O Departamento de Epidemiologia da FSP/USP, em parceria com o Núcleo de Vigilância, Prevenção e Controle da Fauna Sinantrópica e o Núcleo de Gestão de Pessoas e Educação da Divisão de Vigilância de Zoonoses da PMSP/SP, com apoio da Comissão de Cultura e Extensão Universitária da Faculdade de Saúde Pública/USP, realizará no dia 24 de abril de 2019, mais um seminário do XI Ciclo de Atualização em Zoonoses e Saúde Pública.

Veja a programação:

  • 9h – 10h15: Epidemiologia da toxoplasmose, com Andréa Aparecida Messa Bassi Ferreira (Médica Veterinária – Núcleo de Vigilância e Controle de Animais Domésticos – NVCAD/DVZ/PMSP, SP).Toxoplasmose é uma doença causada pelo protozoário Toxoplasma gondii que afeta diversas espécies, inclusive o homem, em todo o mundo. Os felídeos são importantes no ciclo da doença por serem os únicos hospedeiros definitivos, capazes de contaminar o ambiente. A palestra tem como objetivo abordar as principais características dessa zoonose.

  • 10h30 – 12h: Panorama atual da esporotricose no município de São Paulo, com Elisabete Aparecida da Silva (Médica Veterinária – Núcleo de Vigilância /DVZ/PMSP).Esporotricose é uma micose causada por fungo Sporothrix sp, presente no solo e em material orgânico de origem animal ou vegetal. Acomete o homem e diferentes espécies animais. A partir da década de 1980 sofre uma mudança no perfil epidemiológico da doença e passa a ser uma importante doença que vem acometendo gatos com transmissão para outros animais e para pessoas. A palestra tem como objetivo atualizar as informações sobre essa zoonose em São Paulo.

Evento aberto e gratuito. Inscreva-se aqui!

Local: Anfiteatro João Yunes – Faculdade de Saúde Pública da USP
Av. Dr. Arnaldo, 715 – SP

Fonte: FSP/USP

Sintomas da menopausa tem boa resposta com Acupuntura

Pesquisadores da University of Copenhagen realizaram estudo clínico onde concluiram que um tratamento padronizado de acupuntura de 15 minutos uma vez por semana durante cinco semanas alivia sintomas incômodos da menopausa, em especial as ondas de calor.

Os pesquisadores selecionaram 70 mulheres que relataram sentir ondas de calor relacionadas com a menopausa de “algumas vezes” até “muitas vezes” para fazer um tratamento de acupuntura realizado por médicos da atenção básica.

As mulheres que fizeram acupuntura relataram redução significativa das ondas de calor, sudorese excessiva, alterações de humor, distúrbios do sono e problemas de pele e cabelo. Além disso, a acupuntura foi bem tolerada e os seus efeitos colaterais foram muito raros e pouco significativos.

Acesse o artigo completo:
Efficacy of Aupuncture on Menopausal Symptoms (ACOM), 19 de fevereiro. BMJ Open.

Fonte: BMJ

Guerra contra o Aedes Aegypti

O método Wolbachia, já aplicado no Rio de Janeiro, será levado às cidades de Campo Grande (MS), Petrolina (PE) e Belo Horizonte (MG). Medida reduz doenças transmitidas pelo Aedes aegypti

Foto: Alexandre Penido / ASCOM MS

Três cidades brasileiras irão realizar a etapa final do método “Wolbachia” para o combate ao mosquito Aedes aegypti, antes da sua incorporação ao Sistema Único de Saúde (SUS). A nova fase do projeto World Mosquito Program Brasil (WMPBrasil) da Fiocruz em parceria com o Ministério da Saúde será testado nos municípios de Campo Grande (MS), Belo Horizonte (BH) e Petrolina (PE). Para isso, a pasta vai destinar R$ 22 milhões. A metodologia é inovadora, autossustentável e complementar às demais ações de prevenção ao mosquito. Consiste na liberação do Aedes com o microrganismo Wolbachia na natureza, reduzindo sua capacidade de transmissão de doenças.

O anúncio da etapa final de avaliação da Wolbachia, nos três municípios, foi feito pelo ministro da Saúde, Henrique Mandetta, nesta segunda-feira, (15), durante a abertura do evento “Atualização em Manejo Clínico da Dengue e febre do chikungunya e no controle vetorial do Aedes aegypti”, em Campo Grande (MS).  O evento tem como objetivo capacitar médicos, enfermeiros, coordenadores e supervisores de Controle de Vetores dos 79 municípios do estado de Mato Grosso do Sul em relação à técnica de manejo, controle do mosquito e operação de campo.

Ao fazer o lançamento, em Campo Grande, o ministro da Saúde reforçou que a estratégia de combate ao mosquito Aedes continua sendo responsabilidade de todos. “Essa é uma estratégia complementar. Governo e população precisam continuar fazendo sua parte. No âmbito da pesquisa, hoje estamos dando um importante passo. Tínhamos duas linhas de trabalho, sendo uma voltada ao controle do mosquito com o uso de inseticidas, e outra direcionada ao controle biológico, que é o caso do uso da Wolbachia. Essa última pesquisa foi muito bem em todas as etapas, desde a parte teórica até o ensaio clínico em laboratório, e no teste em cidades de pequeno porte. E agora, vamos testar em cidades acima de 1,5 milhão de habitantes”, disse o ministro Henrique Mandetta.

De acordo com o ministro, as três cidades, onde serão trabalhadas a última fase, vão servir de base para verificar a eficácia da metodologia nas regiões do Centro-Oeste, a partir de Campo Grande; Nordeste, por meio de Petrolina; e Sudeste, a partir da experiência em Belo Horizonte. “Em breve, devemos fazer em outras cidades, para colhermos os frutos com o desenvolvimento. Isso vai envolver trabalho da assistência, com o acompanhamento do número de casos; de entomologistas, para saber a prevalência do mosquito; com agentes comunitários de Saúde; e por meio de armadilhas colocadas a campo”, explicou o ministro.

A última fase de teste, agora em cidades com mais de 1,5 mil habitantes, com o mosquito Aedes aegypti infectados com Wolbachia, terá início, em Campo Grande, Belo Horizonte e Petrolina, no segundo semestre de 2019 e tenha uma duração de cerca de três anos. O método é seguro para as pessoas e para o ambiente, pois a Wolbachia vive apenas dentro das células dos insetos. No caso do município de Belo Horizonte, o Ministério da Saúde apoiará a realização de Ensaio Clínico Randomizado Controlado (em inglês Randomized Controlled Trial, RCT) em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais e apoio do National Institute of Allergy and Infectious Diseases (NIAID).

A medida é complementar e ajuda a proteger a região das doenças propagadas pelos mosquitos, uma vez que o Aedes aegypti com Wolbachia – que têm a capacidade reduzida de transmitir dengue, Zika, chikungunya – ao serem soltos na natureza se reproduzem com os mosquitos de campo e geram Aedes aegypti com as mesmas características, tornando o método autossustentável. Esta iniciativa não usa qualquer tipo de modificação genética.

As liberações de mosquitos são precedidas por uma série de ações educativas e de comunicação, com o objetivo de informar a população sobre o método Wolbachia. Esta etapa tem o apoio e a participação de parceiros do WMP no território, como lideranças comunitárias e associações de moradores, unidades de saúde, escolas e organizações não-governamentais.

A Wolbachia é um microrganismo presente em cerca de 60% dos insetos na natureza, mas ausente no Aedes aegypti. Uma vez inserida artificialmente em ovos de Aedes aegypti, a capacidade do Aedes transmitir o vírus da zika, Chikungunya e Febre Amarela fica reduzida. Com a liberação de mosquitos com a Wolbachia, a tendência é que esses mosquitos se tornem predominante e diminua o número de casos associado a essas doenças nos três municípios.

saiba mais…

Fonte: Ministério da Saúde