Curso a distância da USP fala sobre uso racional de medicamentos

comprimidosAté o dia 07 de agosto de 2017 estão abertas as inscrições para o curso a distância: Fundamentos para o Uso Racional de Medicamentos, promovido pelo o Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP.

O uso racional de medicamentos é para que o paciente receba a medicação apropriada para sua situação clínica, nas doses adequadas às suas necessidades individuais, pelo tempo necessário e ao menor custo possível. O curso irá oferecer a profissionais e estudantes na área médica, odontológica, farmacêutica e de enfermagem os fundamentos básicos para a administração racional dos fármacos desde sua prescrição.

Estão disponíveis 100 vagas e as inscrições devem ser realizadas por e-mail: aizenst@icb.usp.br

A taxa de inscrição é de R$ 120. O conteúdo programático do curso engloba cerca de 4 horas de atividades semanais e totaliza 52 horas/aula.

Serão fornecidos certificados aos alunos que obtiverem aproveitamento em 70% dos testes e participação em 85% das aulas.

Fonte: ICB

Especialização em Promoção da Saúde

A Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (ENSP/Fiocruz) está com inscrições abertas, até 20 de julho de 2017 para o curso de Especialização em Promoção da Saúde e Desenvolvimento Social 2017, na modalidade presencial.
O curso tem coordenação das pesquisadoras Maria de Fátima Lobato Tavares e Rosa Maria da Rocha.
Estão disponíveis 32 vagas (sendo 2 candidatos estrangeiros). Leia o edital na Página de Ensino da ENSP.
Direcionado a profissionais graduados na área da saúde, da educação e afins que façam interface com o setor saúde, membros de organizações comunitárias, gestores do SUS e das esferas do governo.
A carga horária total é de 540 (quinhentas e quarenta) horas e será ministrado às quintas e sextas-feiras de 8h às 17h. O início está previsto para 13/09/2017.
Fonte: FIOCRUZ

Descoberta aponta novo alvo para o tratamento do Herpes Zoster

Pesquisadores desvendam mecanismo da dor aguda no herpes zoster

Pessoas que desenvolveram herpes zoster e sofrem com um quadro de dores agudas ganharam um aliado no tratamento dessa doença. Pesquisadores do Centro de Pesquisas em Doenças Inflamatórias (Crid) conseguiram desvendar o mecanismo que gera a dor aguda e que também contribui para o desenvolvimento de dor crônica nesses pacientes. O trabalho foi publicado na revista Journal of Neuroscience no início do mês.

O herpes zoster é uma doença infecciosa causada pelo vírus Varicella zoster, o mesmo que causa a catapora na infância e está presente em 95% das pessoas. Em torno de 96% dos pacientes acometidos pela doença apresentam dor aguda e debilitante, que impede tarefas cotidianas, como tomar banho ou se vestir.

Dados dos Centers for Disease Control and Prevention (CDC), nos Estados Unidos, mostram que uma a cada três pessoas desenvolverá herpes zoster em algum momento da vida. No Brasil, não há dados específicos, mas segundo o Sistema de Informações Hospitalares do SUS, aproximadamente 10 mil pessoas são internadas por ano em virtude de complicações causadas pelo vírus Varicella zoster. Ele fica dormente durante a maior parte da vida do indivíduo e pode ser reativado em pessoas imunossuprimidas, ou seja, cujo sistema imune não funciona corretamente, ou após os 50 anos de idade, quando o organismo fica mais suscetível a quedas na imunidade.

“Quando o vírus infecta o indivíduo, atinge os queratinócitos, que são as células da pele. Por isso, há a formação de lesões características. Em seguida, ele infecta os neurônios sensitivos, também presentes na pele, e segue até encontrar o gânglio da raiz dorsal ou o gânglio trigeminal, no caso do rosto, onde está o corpo celular desses neurônios. É ali que o vírus permanece por anos, em um período de latência, depois que o sistema imune controla a infecção. Se há uma queda no sistema imunológico, ele sofre um processo de reativação e volta a se replicar, a produzir novos vírus, causando uma inflamação no gânglio. Ele faz, então, o caminho inverso: é transportado até a pele e causa as lesões zosteriformes, que também são bolhas. Essa inflamação das células nervosas é responsável por causar a dor intensa”, explica o pesquisador principal do Crid e professor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP Thiago Mattar Cunha, um dos autores do trabalho.

saiba mais…

Fonte: Jornal da USP

Curso gratuito na FSP/USP

A Faculdade de Saúde Pública da USP, em parceria com o centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, está com inscrições abertas para o Curso Gratuito de Aperfeiçoamento em Gestão Das Ações de Vigilância e Controle da Tuberculose, que acontecerá no segundo semestre deste ano.

O curso visa habilitar profissionais gestores de nível superior para atuar nos diversos setores atrelados à vigilância e controle da tuberculose. Além disso, durante o curso serão ministradas aulas sobre “Epidemiologia, diagnóstico, tratamento e prevenção da tuberculose; Planejamento, monitoramento e avaliação; Sistemas de informação; SUS/SUAS – articulação e mobilização social, comunicação.”

Para participar da seleção é preciso preencher a  ficha de inscrição online – que pode ser encaminhada até o dia 12/07/2017 –  e enviar cópia em formato PDF de documentação comprobatória (RG, CPF, diploma, por exemplo) para o e-mail cursos_eventos@fsp.usp.br. Também é indispensável submeter-se a prova escrita que acontecerá no dia 15/07/2017 às 09:00.

Mais informações: acesse aqui

 

Fonte: FSP/USP

 

Novo JCR já está disponível

graficoO Journal Citation Report – JCR 2016 já está disponível para consulta. Este ano 129 revistas brasileiras estão  indexadas.

O Fator de Impacto (FI) das revistas indexadas na Web of Science é calculado pela divisão do número de vezes em que os artigos de uma dada revista indexada são citados em um determinado ano pelo número de trabalhos publicados por essa revista nos dois anos anteriores. O FI é um dos indicadores considerados na avaliação da produtividade científica pelo CNPq e pela Capes, principais agências brasileiras de fomento à pesquisa.

Acesso pelo link: https://jcr-incites-thomsonreuters.ez67.periodicos.capes.gov.br/

Fonte: DBD/FMUSP

 

Mistérios do envelhecimento

publicO que é morrer? Quais fatores limitam o nosso tempo de vida? Por que nós envelhecemos? Como os processos de lesão e reparo de DNA afetam nossas células? É possível aumentar a expectativa de vida humana? Para que, afinal, estudar o envelhecimento?

No vídeo, o Ciência USP entrevista a médica Alicia Kowaltowski, professora do Instituto de Química da USP, e o biólogo Carlos Menck, do Instituto de Ciências Biomédicas, para falar sobre os mistérios do envelhecimento.

Veja no vídeo:

Reportagem: Bruna Larotonda, Ana Paula Chinelli, Alan Petrillo e Isabella Yoshimura. Edição: Isabella Yoshimura e Bruna Larotonda.

Fonte: Ciência USP

E-books com acesso gratuito

A Universidade de São Paulo disponibiliza três obras de referência: Comprehensive Physiology, eLS-Encyclopedia of Life Sciences e Ullmann’s Encyclopedia of Industrial Chemistry, da editora WILEY.

O acesso pode ser realizado nos computadores da Universidade ou por VPN.

Fonte: DBD/FMUSP