Colaboração e cooperação são fundamentais para tornar a ciência aberta uma realidade

A causa por boas práticas de pesquisa e dados abertos para resultados da pesquisa é cada vez mais inquestionável. O acesso aberto aos dados da pesquisa pode ajudar a acelerar o ritmo de progresso das descobertas e oferecer mais valor ao permitir a reutilização e reduzir a duplicação. Boas práticas de dados também tornam a pesquisa mais eficiente, eficaz e satisfatória para os pesquisadores. Como revelam os dados do Digital Science Open Data survey 20171, a comunidade de pesquisa reconhece o valor dos dados abertos, mas boas práticas e compartilhamento de dados ainda estão longe do status quo.

Springer Nature e suas publicações têm defendido as boas práticas de dados há mais de uma década. Os esforços recentes concentraram-se no crescimento das opções de publicação de dados para gerar crédito e no fortalecimento e simplificação das nossas políticas de dados. Nosso foco futuro é no apoio e incentivos para permitir o compartilhamento e gerenciamento de dados, além dos dados abertos, construídos em colaboração com a comunidade de pesquisa.

[Publicado originalmente no blog LSE Impact of Social Sciences em Outubro/2017]

saiba mais…

Fonte: SciELO

Anúncios

USP cria iniciativas para disseminar boas práticas de pesquisa

plágioA Universidade de São Paulo criou o Comitê de Boas Práticas Científicas da USP, que tem como objetivo promover a cultura da integridade ética da pesquisa por meio de ações regulares e acessíveis a todos os alunos, docentes e pesquisadores.

A Pró-Reitoria de Pós-Graduação disponibilizou, no início do ano de 2017, para a comunidade da USP um software para detecção de plágios em textos. Agora, a universidade institucionalizou o processo a partir de iniciativas da FAPESP como o lançamento do Código de Boas Práticas Científicas da Fundação.

 

Na página da Pró-Reitoria de Pesquisa já foram anexados vários documentos e vídeos que servem como material de apoio.

“Esse é um terreno que envolve mudança de cultura. Como podemos fazer isso na prática? Um exemplo interessante é a seção Boas Práticas da Revista Pesquisa FAPESP, que reúne mais de 100 matérias sobre o tema. Com esse material, é possível se reunir com os alunos e discutir o assunto”, disse Hamilton Varela, professor do Instituto de Química, de São Carlos, e assessor do professor Krieger na Pró-Reitoria de Pesquisa da USP.

A USP está desenvolvendo uma nova plataforma com guias de conduta e segurança em laboratórios e boas práticas de pesquisa nas diversas áreas do conhecimento. A iniciativa visa estimular a programação de palestras, mesas-redondas e debates em simpósios e congressos realizados na USP.

Ainda nesse contexto, a USP vai introduzir a partir do próximo ano o acesso gratuito para pesquisadores e alunos de um caderno de laboratório on-line, o SciNote.

 

A criação do Comitê de Boas Práticas Científicas da USP partiu de um pedido da FAPESP de intensificar a educação de boas práticas como forma de prevenção.

 

saiba mais…

Fonte: FAPESP

Guia de Boas Práticas Editoriais

bestpracticeA editora John Wiley lança a 2ª edição online do manual de boas práticas em ética editorial Best Practice Guidelines on Publishing Ethics: A Publisher’s Perspective, estabelecendo um ponto de referência para os editores de periódicos e sociedades acadêmicas.

A publicação é uma atualização do manual anterior, referência obrigatória sobre temas éticos que surgem nas publicações acadêmicas, tanto para editores, autores, e pesquisadores, como para o público em geral.

O manual foi publicado em Acesso Aberto sob licença CC-BY-NC 4.0 e seu download pode ser feito livremente.

O manual, em suas mais de 50 páginas, recompila informação de várias fontes agrupadas nos seguintes capítulos:

  1. Introduction
  2. First: Speak with your publisher
  3. Research integrity
  4. Research ethics in journal articles
  5. Editorial standards and processes
  6. Copyright and intellectual property
  7. Resources for responsible publication policies and procedures
  8. Flowcharts COPE
  9. Sample letters

O guia aborda temas como falsificação e manipulação de dados e imagens, plágio, publicações duplicadas e redundantes, retratações, aspectos de privacidade e confidencialidade, e outros que geram controvérsias ao editor.

Direitos humanos, confidencialidade, e o respeito às diferenças culturais também são abordados. O guia traz orientações quanto ao que deve ser feito no caso de suspeita de plágio, de manuscrito redundante (duplicado) de outro publicado etc.

Acesse: Best Practice Guidelines on Publishing Ethics 2 Ed

Fonte: John Wiley

Portal NHS Evidence

O Portal NHS Evidence disponibiliza informações clínicas, sobre assistência e boas práticas em saúde para profissionais das áreas da saúde e assistência social. É desenvolvido pelo NICE – National Institute for Health and Clinical Excellence, organização do National Health Service do Reino Unido. O portal foi lançado em abril de 2009, é fácil de pesquisar, apresenta resultados validados por fontes de informação da área médica e permite a personalização da pesquisa para usuário registrado.