Descoberto hormônio que pode ajudar na proteção das células cerebrais

Uma pesquisa realizada no Departamento de Farmacologia do ICB, mostrou os potenciais de uso do hormônio ouabaína como agente protetor das células cerebrais.

Segundo a pesquisa desenvolvida pela doutoranda Paula Kinoshita com orientação do Prof dr. Cristoforo Scavone, após induzir uma inflamação nas células da glia e administrar o ouabaína, foi constatado uma reversão no processo inflamatório nas células cerebrais, o que mostrou o seu efeito protetor em casos.

O estudo abre caminhos para que no futuro novos fármacos contra doenças neurodegenerativas, como o Parkinson e o Alzheimer, possam ser desenvolvidos.

saiba mais…

Fonte: USP

Anúncios

Nova classificação dos gliomas

Pesquisadores da USP Ribeirão Preto, juntamente com outros pesquisadores internacionais publicaram artigo sobre câncer de cérebro onde propuseram nova classificação para os gliomas, um dos tipos de cânceres mais fatais.

No consultório, para determinar qual será o tratamento do paciente, os médicos dividem esses tumores em quatro graus, de acordo com a gravidade do câncer: grau I, II, III ou IV. Pesquisadores propõe agora uma nova classificação, mais precisa, com sete tipos de tumores diferentes. Cada tipo sugere uma forma de tratamento e um tempo de sobrevida específicos.

A nova classificação foi fruto de análise genética e epigenética dos gliomas. A pesquisa foi coordenada por Houtan Noushmehr, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), da Universidade de São Paulo (USP); por Antonio Iavarone, da Universidade de Columbia (EUA); e por Roel Verhaak, do Instituto MD Anderson (EUA). Foram analisados os genes ativos no tumor, a metilação do DNA, o número de cópias de genes nas células, as mutações genéticas, a expressão de RNA, a codeleção do cromossomo 1p19q, o comprimento dos telômeros e mutações no gene IDH1.

O artigo, publicado na revista científica Cell em 28 de janeiro de 2016, está disponível em: http://www.cell.com/.

Fonte: Ciência USP

Simpósio Internacional Mente-cérebro – Cérebro, Mente, Espirito ou Alma?

mente-cerebroInvestigando a relação mente-cérebro
A mente é um produto da atividade cerebral ou algo além do cérebro?

O Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da FMUSP e a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), com financiamento da Universidade de Oxford (Inglaterra), realizam o Simpósio Internacional Mente-cérebro – Cérebro, Mente, Espirito ou Alma?, dia 30 de abril de 2016, no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo.

O evento reúne pesquisadores (psiquiatras, neurocientistas, cirurgiões, filósofos e psicólogos) com diferentes pontos de vista sobre o problema mente-cérebro, no intuito de ressaltar as controvérsias e, com isso, atualizar o conhecimento do público sobre as recentes pesquisas e discussões.

Acesse o programa completo e inscrições no site:http://mentecerebro.com/pt-br

Fonte: IPq/HC/FMUSP

II Semana do Cérebro do ICB

cerebroO Instituto de Ciências Biomédicas – ICB da USP oferece programação especial na Semana Internacional do Cérebro, que acontece de 14 a 20 de março de 2016.

Filmes seguidos de debate, palestras, oficinas e exposições compõem a programação que conta com o envolvimento de parceiros como o Cinusp Paulo Emílio, a Universidade Federal do ABC (UFABC), a Sociedade Brasileira de Neurociência e Comportamento (SBNeC) e a Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD).

A entrada nas atividades é gratuita, aberta ao público e não requer inscrição. Confira a programação completa.

Mais informações:
ccext@icb.usp.br
tel.: (11) 3091-7720

Fonte: ICB

9º World Congress International Brain Research acontece no Rio de Janeiro

ibroO 9º World Congress International Brain Research Organization – IBRO, acontece de 7 a 11 de julho de 2015, no Rio de Janeiro.

O objetivo do evento é aprofundar os conhecimentos em neurociência – compreensão da estrutura e função do cérebro, a partir de moléculas de comportamento, com palestras de cientistas renomados, simpósios e minisimpósios.

saiba mais… 

Mais informações:

Serviço ao Cliente e Serviço Comercial Estandes e Patrocínios:
+55 21 2286 2846 /  contact@ibro2015.org

Registro:
registrationbrasil@mci-group.com

Submissão de Artigos:
abstractbrasil@mci-group.com

Local:
Centro de Convenções SulAmérica
Av. Paulo de Frontin, 1 – Cidade Nova – Centro – Rio de Janeiro – RJ

Enxaqueca e depressão podem estar ligados ao tamanho do cérebro

“Estudos mostram que pessoas com enxaqueca têm o dobro do risco de depressão em comparação com as pessoas sem enxaqueca”, disse S. Larus Gudmundsson, PhD, do Instituto Nacional sobre o Envelhecimento da Universidade Militar de Ciências da Saúde, em Bethesda, Md . Gudmundsson.

O estudo contou com a participação de 4.296 pessoas. O estudo descobriu que pessoas com enxaqueca e depressão tinham volumes menores de tecido cerebral, cerca de 19,2 mililitros menores do que aqueles sem qualquer condição. Não houve diferença no volume cerebral total quando se comparam as pessoas com apenas uma das condições para as pessoas com nenhuma das condições.

“É importante notar que os participantes neste estudo foram fotografados usando MRI uma vez, por isso não podemos dizer que a enxaqueca e depressão resultou em atrofia cerebral. Em estudos futuros, é preciso examinar em que idade os participantes desenvolveram enxaqueca e depressão e medir as alterações de volume do cérebro ao longo do tempo, a fim de determinar o que vem em primeiro lugar “, disse Gudmundsson.

Gudmundsson observou que alguns dos fatores que levam a um efeito conjunto de enxaqueca e depressão no volume cerebral podem incluir dor, inflamação do cérebro, genética e as diferenças de uma combinação de fatores sociais e econômicos. “O nosso estudo sugere que as pessoas com enxaqueca e depressão pode representar um único grupo daqueles com apenas uma destas condições, e podem também requerer diferentes estratégias para o tratamento de longo prazo.”

O estudo foi financiado pelos Institutos Nacionais de Saúde, do Instituto Nacional sobre o Envelhecimento, a Associação Coração da Islândia e pelo Parlamento islandês.

Veja a reportagem completa…

Fonte: ScienceDaily