Palestra gratuita no IPq/HC/FMUSP

O Programa Transtornos Afetivos, do Instituto de Psiquiatria do HC/FMUSP, promove, dia 22 de setembro de 2017, das 13h30 às 15h30 a palestra gratuita: Mudança no estilo de vida – por que a rotina é importante para pessoas com depressão e transtorno bipolar?

O evento conta com as palestrantes Geiza Antunes (Psicóloga) e Janette Canales Fisio MSc.

As inscrições são gratuitas. Os certificados devem ser solicitados no ato da inscrição e tem um custo de R$30 reais.

Mais informações:
e-mail: grudaipq@hc.fm.usp.br

Local:
Instituto de Psiquiatria
Rua Doutor Ovídio Pires de Campos, 785

Fonte: IPq/HC/FMUSP

 

Anúncios

Evento gratuito no IPq/HC/FMUSP

O CANMAT 2016: New clinical guidelines for treatment of Major Depressive Disorder acontece no dia 30/10/2017, das 9h às 12h, no Anfiteatro do Instituto de Psiquiatria do HC/FMUSP.

O evento é gratuito e será em inglês.

Direcionado a profissionais da área da saúde.

Mais informações:
e-mail grudaipq@hc.fm.usp.br

Nenhum texto alternativo automático disponível.
Fonte: IPq/HC/FMUSP

Estudos apontam que dor crônica tem relação com ansiedade e depressão

De acordo com pesquisadores do Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo há uma forte relação bidirecional entre ansiedade ou depressão e algumas doenças físicas crônicas.

A dor crônica foi a mais comum entre os indivíduos com transtorno de humor – como depressão e bipolaridade –, ocorrendo em 50% dos casos de transtornos de humor, seguidos por doenças respiratórias (33%), doença cardiovascular (10%), artrite (9%) e diabetes (7%).

Os distúrbios de ansiedade também são largamente associados com dor crônica (45%) e doenças respiratórias ( 30%), assim como com artrite e doenças cardiovasculares (11% cada). A hipertensão foi associada a ambos os distúrbios em 23%. O resultado do estudo é que indivíduos com transtornos de humor ou de ansiedade tiveram duas vezes mais chance de apresentar doenças crônicas.

O artigo, publicado no Journal of Affective Disorders, faz parte do São Paulo Megacity Mental Health Survey, levantamento concluído em 2009 no âmbito do Projeto Temático “Estudos epidemiológicos dos transtornos psiquiátricos na Região Metropolitana de São Paulo: prevalências, fatores de risco e sobrecarga social e econômica”, financiado pela FAPESP.

Os pesquisadores afirmam no estudo a necessidade clara de tornar o diagnóstico e o tratamento da saúde mental uma prioridade no sistema de saúde. Andrade alerta ainda que o esperado é que a prevalência dessas doenças aumente nos próximos anos na Região Metropolitana de São Paulo.

“Ao pesquisar a questão de saúde das cidades é possível notar um aumento das prevalências de depressão e ansiedade, muito provavelmente ligado à alteração de estilo de vida na metrópole. Então é possível esperar que haja um aumento também em todo o pacote, não só de depressão e ansiedade, mas também de outras doenças como infarto, acidente vascular cerebral, diabetes, hipertensão e dor”, disse.

Estudos anteriores já haviam mostrado de forma consistente a associação entre doenças crônicas e transtornos de humor e ansiedade. Mas ainda não se sabe porque a relação entre dor crônica e ansiedade ou depressão é tão intensa, pois os mecanismos fisiopatológicos da dor crônica são pouco conhecidos.

A comorbidade pode ser explicada a partir das limitações comportamentais devido a doenças físicas, que restringem o indivíduo a exercer atividades gratificantes.

Andrade explica que, assim como as células do sistema de defesa são ativadas quando há uma invasão por um agente patógeno, o estresse psicológico em uma situação ambiental – como, por exemplo, viver em uma cidade como São Paulo – acaba ativando o sistema inflamatório.

“Aumento da inflamação, lesões do endotélio – camada de célula presente em todos os vasos sanguíneos – e danos oxidativos são algumas vias que podem estar relacionadas à ocorrência da comorbidade. Consequentemente, é imperativo que sintomas depressivo-ansiosos sejam tratados agressivamente em pacientes com condições médicas crônicas, pois sua resolução pode ser acompanhada por melhora geral sintomática e uma importante diminuição no risco de mortalidade e complicações”, disse Andrade.

No entanto, de acordo com a pesquisadora, ainda é preciso fazer mais pesquisa enfocando a interação entre depressão, ansiedade e doenças físicas crônicas para elucidar os mecanismos pelos quais se originam as doenças.

O artigo Dual burden of chronic physical diseases and anxiety/mood disorders among São Paulo Megacity Mental Health Survey Sample, Brazil (http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0165032717308364), de Melanie S. Askari, Laura Helena Andrade, Alexandre Chiavegatto Filho, Camila Magalhães Silveira, Erica Siu, Yuan-Pang Wang, Maria Carmen Viana, Silvia S. Martins, pode ser lido em http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0165032717308364.

Fonte: FAPESP

USP busca voluntários com depressão para estudo

voluntario

Pesquisadores da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP precisam de voluntários com depressão para estudo do efeito do óxido nitroso, anestésico conhecido como “gás do riso”.

Os interessados devem ter diagnóstico de Transtorno Depressivo Maior, idade entre 18 e 65 anos, estar usando medicamento antidepressivo e, mesmo com o tratamento, apresentar os sintomas depressivos.

Não podem ter deficiência de vitamina B12; doença pulmonar obstrutiva crônica; dependência de álcool ou drogas ilícitas; esquizofrenia; transtorno bipolar; transtorno obsessivo-compulsivo ou outros transtornos psicóticos. Mulheres não podem estar grávidas ou amamentando.

Os voluntários passam por um entrevista, além de oito sessões experimentais duas vezes por semana no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (HCFMRP) da USP, com duração de três horas cada, ao longo de quatro semanas.

Os participantes vão usar o medicamento e também responder a escalas de avaliação de sintomas psiquiátricos. O estudo é de Mara Rocha Crisóstomo Guimarães, com orientação do professor João Paulo Machado de Sousa na pesquisa Efeitos da adição do óxido nitroso no tratamento do transtorno depressivo maior.

Os interessados devem se inscrever pelo e-mail mrcrisostomo@usp.br

Fonte: Jornal da USP

Depressão é tema de palestra gratuita no IPq

O Programa de Transtornos Afetivos realiza em 28/04/2017, das 13h30 às 15h30, no anfiteatro do IPq, encontro psicoeducacional aberto e gratuito sobre depressão.

Serão discutidos o que é e quais são os fatores de risco e proteção, com o psiquiatra Frederico Demétrio e a psicóloga Adriana Carneiro.

Não é necessária inscrição.

Será fornecido certificado de participação mediante taxa de R$ 30,00.

Informações: www.progruda.com

Fonte: IPq/HC/FMUSP

Depressão entre os jovens

depressaoA Organização Mundial da Saúde (OMS) escolheu a depressão como tema para este ano. Com o lema “Let’s talk” (Vamos conversar, em português), a iniciativa reforça questões sobre prevenção e tratamento da doença.

Sobre o assunto, o Jornal da USP entrevistou a professora doutora Silvana Chiavegatto, neurocientista do Departamento de Farmacologia do Instituto de Ciências Biomédicas da USP. Ela alertou acerca do fato da depressão ser a segunda causa de morte de jovens entre 15 e 29 anos.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93,7, em Ribeirão Preto FM 107,9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Fonte: Jornal da USP

Artigos gratuitos sobre Depressão

Hoje é o Dia Mundial da Saúde e o tema deste ano é a Depressão.

A Springer Nature criou uma lista de artigos gratuitos sobre o tema. Acesse em

 

%d blogueiros gostam disto: