Fiocruz participa de estudo que testará novo anticorpo para prevenção do HIV

Instituto ligado à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) é responsável pela coordenação da parte brasileira do estudo 

______________________________

 

Nomeado com a sigla A.M.P (Anticorpos Mediando Prevenção), o estudo promete combater 90% dos subtipos do HIV. A ideia é utilizar um anticorpo neutralizante, feito em laboratório e aplicado na veia.

Ao todo, estão previstas as participações de 2.700 voluntários nas Américas do Norte e do Sul e 1.500 na África Subsariana. Nos Estados Unidos, o recrutamento começou em março de 2016. Já no Brasil, os voluntários começaram a se apresentar em março de 2017. Atualmente, são 80 voluntários em território nacional, com meta de 140 até maio do ano que vem.

“No momento estamos recrutando os voluntários para a pesquisa. Pessoas saudáveis, entre 18 a 50 anos e que se identifiquem como gays, bissexuais, travestis, mulheres ou homens transexuais podem participar. O participante virá até a clínica cerca de uma vez a cada quatro semanas para exames e consultas e receberá uma infusão do anticorpo a cada oito semanas”, explicou a coordenadora do projeto no Brasil, Brenda Hoagland.

Vacina

Segundo o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz), o estudo é mais um passo para se chegar a uma vacina eficiente contra o HIV. Isso porque os resultados da pesquisa podem trazer aos cientistas um melhor entendimento de como o anticorpo funciona.

O A.M.P. é fruto de parceria com centros de pesquisa de variados países com o HIV Vaccine Trials Network (HVTN) e o HIV Prevention Trials Network (HPTN).

Boletim Epidemiológico

Boletim Epidemiológico de HIV/Aids, divulgado no início de dezembro em Cutiriba (PR), revela que os casos de Aids e a mortalidade provocada pela epidemia estão caindo no Brasil. Segundo dados da publicação, em 2016 a taxa foi de 18,5 casos por 100 mil habitantes – uma redução de 5,2% em relação a 2015, quando era registrado 19,5 casos. Já no número de mortes houve queda de 7,2%, a partir de 2014. Os resultados vão de encontro ao período em que foi ampliado o acesso ao tratamento em todo o País.

Segundo o Ministério da Saúde, as políticas de assistência ampliaram o diagnóstico do HIV, diminuíram o tempo para iniciar o tratamento e, consequentemente, aumentaram o número de pessoas recebendo a terapia antirretroviral.

Fonte: Canal Saúde / Fiocruz

Anúncios

Direito social à saúde é tema da revista ‘Ciência e Saúde Coletiva’

O número temático da revista Ciência e Saúde Coletiva (vol. 22 n.10) sobre Vigilância em Saúde foi concebido no contexto do processo da 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde.

Os artigos publicados nesse número da revista possibilitam um importante referencial para os debates em torno dos desafios atuais da Vigilância em Saúde, tais como: as ameaças, perigos, riscos, vulnerabilidades, agravos e danos à saúde; o lugar da Vigilância em Saúde no SUS; garantia de acesso; Vigilância em Saúde como ordenadora do modelo de atenção à saúde; territorialização e regionalização; a integração e o papel das vigilâncias em saúde na integralidade do cuidado individual e coletivo em toda a Rede de Atenção à Saúde; a integração dos saberes, das práticas, dos processos de trabalhos e das tecnologias na Vigilância em Saúde e a participação social no fortalecimento da Vigilância em Saúde.

Acesse: Ciênc. saúde coletiva vol.22 no.10 Rio de Janeiro Oct. 2017

Fonte: Fiocruz

Fiocruz oferece o curso Fundamentos da Experiência Psicanalítica

fiocruzEstão abertas, até 30 de janeiro de 2018, as inscrições para o Curso de Atualização em Fundamentos da Experiência Psicanalítica, coordenado pela pesquisadora do Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana da Escola Nacional de Saúde Pública (Cesteh/Ensp), Clarice Gatto.

O curso tem por objetivo contribuir para uma perspectiva crítica ante a práxis que se exerce nos espaços institucionais de trabalho, além de propiciar aos participantes uma reflexão sobre os conceitos fundamentais na abordagem do trabalho clínico da psicanálise e fornecer referências teóricas que orientem as ações na atenção à saúde, em especial, na saúde dos trabalhadores em ambulatórios da rede pública de saúde.

Ao todo 15 vagas estão disponíveis, para profissionais de nível superior que articulem o exercício de seu trabalho (clínico) ao saber da psicanálise, especialmente: médicos, psicólogos, psiquiatras, assistentes sociais, enfermeiros e terapeutas ocupacionais.

O curso se orienta no estudo de conceitos fundamentais da psicanálise (Freud e Lacan), cujo o campo é reconhecidamente necessário na atenção à saúde pública, sobretudo no restabelecimento para o sujeito da decifração de seu sofrimento psíquico. O ensino de Freud e Lacan, nessa perspectiva, é uma referência fundamental com o qual nos perfilamos. Ao visar o estudo de conceitos fundamentais da psicanálise o curso pretende instrumentalizar o aluno no exercício da práxis (teoria e prática política) no âmbito da atenção em saúde.

Acesse o edital e saiba mais sobre o curso de qualificação profissional em nível de atualização na modalidade presencial.

Fonte: Ensp/Fiocruz

Inscrições abertas para especialização em Saúde Pública 2018

fiocruzA Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) está com inscrições abertas, até 11/01/2018, para o  curso de Especialização em Saúde Pública (CESP).O curso está com nova estrutura curricular visando maior inserção no contexto atual das práticas e da organização do sistema de saúde.

São oferecidas 33 vagas, sendo 30 para candidatos nacionais e 3 para candidatos estrangeiros.

Link para inscrição: Plataforma Siga Lato Sensu Fiocruz. Acesse o edital.

O objetivo do curso é formar profissionais interessados no desenvolvimento de habilidades que potencializem o olhar crítico, reflexivo e abrangente sobre a situação de saúde e o contexto político-social, com vistas ao desenvolvimento dos sistemas públicos de saúde.

A proposta para 2018 traz quatro Unidades de Aprendizagem: Modos de viver, adoecer e morrer no Brasil (UA I); Políticas de saúde e organização de sistemas e serviços de saúde (UA II); Práticas e cuidados em saúde (UA III); e Pesquisa e produção de conhecimento em saúde (UA IV).

Direcionado a profissionais graduados ligados à área da saúde ou áreas afins.

Endereço para envio e entrega da documentação / outras informações

Fundação Oswaldo Cruz
Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca
Serviço de Gestão Acadêmica Lato Sensu e Qualificação Profissional
CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA – 2018
Rua Leopoldo Bulhões, 1480 – Edifício Prof. Joaquim Alberto Cardoso de Melo – 1º andar, sala 105
21041-210 – Manguinhos – Rio de Janeiro – RJ
Tel.: (21) 2598-2318
Horário de atendimento ao público: 8h30min às 16h30min
http://www.ensp.fiocruz.br
Fonte: Fiocruz

Fiocruz está com inscrições abertas para Programas de Residência

Os programas de residência do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz) estão com inscrições abertas até 16 de novembro de 2017.

A residência em saúde é uma modalidade de pós-graduação lato sensu que constitui um programa de formação em serviço, destinado aos profissionais da área de saúde, sob orientação/supervisão de profissionais altamente qualificados, seguindo orientações específicas da legislação que rege cada modalidade. No IFF, os programas se dividem em: Residência MédicaResidência em Enfermagem e Residência Multiprofissional.

Mais informações sobre os programas podem ser obtidas na página de ensino do IFF ou através de contato com o Centro de Estudos Olinto de Oliveira pelos telefones (21) 2554-1700 / 2553-6504 ou pelo e-mail residencias2018.iff.fiocruz@gmail.com.

Fonte: FIOCRUZ

Curso de especialização em Comunicação e Saúde

O Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), está oferecendo o curso de especialização em Comunicação e Saúde 2018.

O curso é direcionado a graduados nas áreas de saúde, comunicação e afins, que atuam ou desejam atuar nas instituições de Saúde, Comunicação, movimentos sociais, programas e projetos a elas relacionadas.

As inscrições para a especialização começam dia 1º de novembro de 2017, oferecendo apenas 20 vagas. Com início em março de 2018, o curso tem carga horária de 370 horas, sendo concluído em março de 2019. As aulas serão de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, uma semana por mês, e o conteúdo programático está dividido em quatro módulos: Fundamentos e políticas de Saúde, Fundamentos e Políticas de Comunicação e Saúde, Metodologia de Pesquisa e de Planejamento e Análise de Estratégicas e Práticas de Comunicação e Saúde, além de uma oficina.

Dentre os objetivos do curso, está a identificação e discussão das principais tendências da Comunicação na sociedade contemporânea e sua influência na criação/redefinição de valores e práticas relacionadas com a saúde.

As inscrições devem ser realizadas até o dia 8 de janeiro de 2018, pelo site da Plataforma SIGA, seguindo os links: Inscrição > Presencial > Especialização >Icict> Comunicação e saúde – 2018/Sede.

Mais informações:
Gestão Acadêmica do Icict
Tel.: (21) 3882-9063
e-mail gestaoacademica@icict.fiocruz.br

Local:
Av. Brasil, 4.036, sala 210, Prédio da Expansão do Campus, em Manguinhos
Rio de Janeiro (RJ)

Fonte: Canal Saúde – Fiocruz

Exposição interativa e gratuita sobre o Aedes

O Museu da Vida da Fiocruz e o Sesc São Paulo inauguraram no dia 05/10/2017 a exposição interativa gratuita Aedes: que mosquito é esse? 
Realizada em parceria com a farmacêutica Sanofi, a atração tem concepção, organização e montagem do Museu da Vida, e classificação livre.
A exposição passeia pelo complexo universo do inseto, usando tecnologia avançada e material multimídia. A iniciativa é apoiada pela Rede Dengue, Zika e Chikungunya da Fiocruz – que coordena diversas ações integradas para o controle do Aedes na instituição.
Com o objetivo de sensibilizar o público para a importância de seu papel como protagonista na promoção de práticas saudáveis, e alinhado ao conceito de promoção de saúde, o Sesc traz esta exposição visando a provocar reflexões acerca dos fatores de risco para doenças, para além da visão biológica, entendendo os sujeitos em sua integralidade, e respeitando o contexto social onde estão inseridos.
Diversas atividades interativas estão à disposição do público, entre elas o Quintal Interativo, em que é possível observar, com lupas, o ciclo de vida do Aedes aegypti e as fases ovo, larva, pupa e alada (adulto). A ideia é convidar o visitante a encontrar potenciais criadouros do vetor, como pneus, caixas d’água destampadas e garrafas armazenadas de maneira incorreta.  O jogo no estilo point-and-click promete mexer com o público e se tornar uma das grandes sensações.
O jogo Detetive da Dengue apresenta cenários com possíveis criadouros – o participante deve identificá-los e tocá-los para eliminar a ameaça. Quem encontrar e bloquear mais focos, ganha a partida e acumula pontos na passagem à próxima fase, com nova missão. Brincando, o visitante pode usar um aplicativo no celular para achar criadouros do inseto em locais distribuídos ao longo da exposição.
Exposição Aedes: que mosquito é esse?
Local: Sesc Florêncio de Abreu
Endereço: Rua Florêncio de Abreu, 305/315 – Centro – São Paulo
Abertura para o público: 5 de outubro a 15 de dezembro
Atendimento: segunda a sexta, das 10 às 19h
Entrada gratuita
Informações: (11) 3329-2800
Fonte: Fiocruz