Biblioteca é notícia no Jornal do HC/FMUSP

Gestão do Conhecimento, conheça o OPI

A cada minuto, de lugares distantes – como Índia, Japão, China, Portugal e Estados Unidos – há acessos simultâneos à página do OPI – Observatório da Produção Intelectual do Sistema FMUSP-HC no site da biblioteca da Faculdade de Medicina da USP.

Entre 2012 e o atual momento, foram publicadas 20.342 referências de documentos da produção técnico-científica do Sistema FMUSP-HC com relevância internacional. E esse número cresce a cada momento de acesso. São artigos, livros e eventos de importância no processo de gestão do conhecimento. No OPI, é possível conhecer quem ou qual grupo de pesquisadores publica sobre uma determinada temática no Sistema.

O OPI centraliza a produção e amplia o acesso às pesquisas realizadas nas chamadas comunidades: FMUSP, HCFMUSP e os LIMs – Laboratórios de Investigação Médica.

Eidi Raquel Franco Abdalla, Chefe Técnica da Divisão de Biblioteca e Documentação da Faculdade de Medicina da USP destaca o trabalho de coleta, organização, preservação e disponibilização da produção intelectual do Sistema FMUSP-HC e ressalta a importância da parceria com os LIMs e com o Núcleo de Tecnologia da Informação.

Toda a produção disponível está validada, certificada e atende à Lei de Direitos Autorais, enfatiza a Supervisora Técnica Rosa Maria Fischi, responsável pela equipe que desenvolve a base de dados.

Além do Brasil, os países que mais recorrem ao Observatório são Estados Unidos, Portugal, Índia e Reino Unido. Para conhecer o OPI, o seu endereço eletrônico é http://observatorio.fm.usp.br. 

 
Fonte: com informações do HC On Line

FMUSP inaugura Espaço Didático

No dia 10 de agosto, a Faculdade de Medicina da USP inaugurou o Espaço Didático, localizado no Prédio dos Ambulatórios do Hospital das Clínicas, para a realização de atividades acadêmicas da graduação, pós-graduação e residência médica.
O ambiente é composto por uma sala administrativa e nove salas de aula com capacidade para 22 pessoas cada. Do total, oito salas são modulares, com paredes reversíveis, podendo se tornar quatro salas com 44 lugares cada.
Participaram da inauguração os Professores Jose Otavio Costa Auler Jr, Diretor da FMUSP; Edmund Chada Baracat, Presidente da Comissão de Graduação da FMUSP; Carlos Roberto Ribeiro de Carvalho, Vice-Diretor Clínico do HCFMUSP; e Alberto José da Silva Duarte, Presidente do Conselho Diretor do Instituto Central do HCFMUSP.
A FMUSP reformou ainda alguns espaços no prédio principal da Faculdade para atividades acadêmicas. As salas 1310 e 1357, com capacidade para 15 e 45 pessoas, respectivamente poderão ser usadas para grupos de trabalho e aulas. Já a sala 1351, com capacidade para oito pessoas, poderá ser utilizada para reunião e grupo de trabalho.
Existe ainda um projeto para a criação da Sala dos Professores, no segundo andar, e duas salas com capacidade para 15 pessoas cada, no primeiro andar.
Fonte: FMUSP

IPq/HC/FMUSP busca voluntários saudáveis para pesquisa

Voluntariado-capa

O Grupo de Interconsultas do Instituto de Psiquiatria do HC/FMUSP convida pessoas de ambos os sexos, sendo mulheres entre 40 e 69 anos e homens entre 20 e 59 anos, que não tenham depressão, doença clínica não estabilizada (diabetes, hipertireoidismo, lúpus, etc.) e não façam uso de polivitamínicos ou qualquer medicamento psiquiátrico, para participar de estudo.

Será oferecido um check-up composto por exames laboratoriais (sangue e urina), eletrocardiograma e avaliação da dieta habitual. Os resultados, que incluem avaliação dos níveis de vitamina B12, ácido fólico e selênio, serão repassados aos participantes gratuitamente.

Os interessados devem entrar em contato com Soraya Pimentel ou Angela Bastos – tel.: 11 26617804, de segunda a sexta-feira, das 9h às 13h ou pelo e-mail psicofarmacologia.aplicada@gmail.com

Fonte: IPq/HC/FMUSP

Estudos apontam que dor crônica tem relação com ansiedade e depressão

De acordo com pesquisadores do Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo há uma forte relação bidirecional entre ansiedade ou depressão e algumas doenças físicas crônicas.

A dor crônica foi a mais comum entre os indivíduos com transtorno de humor – como depressão e bipolaridade –, ocorrendo em 50% dos casos de transtornos de humor, seguidos por doenças respiratórias (33%), doença cardiovascular (10%), artrite (9%) e diabetes (7%).

Os distúrbios de ansiedade também são largamente associados com dor crônica (45%) e doenças respiratórias ( 30%), assim como com artrite e doenças cardiovasculares (11% cada). A hipertensão foi associada a ambos os distúrbios em 23%. O resultado do estudo é que indivíduos com transtornos de humor ou de ansiedade tiveram duas vezes mais chance de apresentar doenças crônicas.

O artigo, publicado no Journal of Affective Disorders, faz parte do São Paulo Megacity Mental Health Survey, levantamento concluído em 2009 no âmbito do Projeto Temático “Estudos epidemiológicos dos transtornos psiquiátricos na Região Metropolitana de São Paulo: prevalências, fatores de risco e sobrecarga social e econômica”, financiado pela FAPESP.

Os pesquisadores afirmam no estudo a necessidade clara de tornar o diagnóstico e o tratamento da saúde mental uma prioridade no sistema de saúde. Andrade alerta ainda que o esperado é que a prevalência dessas doenças aumente nos próximos anos na Região Metropolitana de São Paulo.

“Ao pesquisar a questão de saúde das cidades é possível notar um aumento das prevalências de depressão e ansiedade, muito provavelmente ligado à alteração de estilo de vida na metrópole. Então é possível esperar que haja um aumento também em todo o pacote, não só de depressão e ansiedade, mas também de outras doenças como infarto, acidente vascular cerebral, diabetes, hipertensão e dor”, disse.

Estudos anteriores já haviam mostrado de forma consistente a associação entre doenças crônicas e transtornos de humor e ansiedade. Mas ainda não se sabe porque a relação entre dor crônica e ansiedade ou depressão é tão intensa, pois os mecanismos fisiopatológicos da dor crônica são pouco conhecidos.

A comorbidade pode ser explicada a partir das limitações comportamentais devido a doenças físicas, que restringem o indivíduo a exercer atividades gratificantes.

Andrade explica que, assim como as células do sistema de defesa são ativadas quando há uma invasão por um agente patógeno, o estresse psicológico em uma situação ambiental – como, por exemplo, viver em uma cidade como São Paulo – acaba ativando o sistema inflamatório.

“Aumento da inflamação, lesões do endotélio – camada de célula presente em todos os vasos sanguíneos – e danos oxidativos são algumas vias que podem estar relacionadas à ocorrência da comorbidade. Consequentemente, é imperativo que sintomas depressivo-ansiosos sejam tratados agressivamente em pacientes com condições médicas crônicas, pois sua resolução pode ser acompanhada por melhora geral sintomática e uma importante diminuição no risco de mortalidade e complicações”, disse Andrade.

No entanto, de acordo com a pesquisadora, ainda é preciso fazer mais pesquisa enfocando a interação entre depressão, ansiedade e doenças físicas crônicas para elucidar os mecanismos pelos quais se originam as doenças.

O artigo Dual burden of chronic physical diseases and anxiety/mood disorders among São Paulo Megacity Mental Health Survey Sample, Brazil (http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0165032717308364), de Melanie S. Askari, Laura Helena Andrade, Alexandre Chiavegatto Filho, Camila Magalhães Silveira, Erica Siu, Yuan-Pang Wang, Maria Carmen Viana, Silvia S. Martins, pode ser lido em http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0165032717308364.

Fonte: FAPESP

IPQ/HC/FMUSP oferece Curso de Atualização em Reabilitação Neuropsicológica dos Transtornos Psiquiátricos

O Instituto de Psiquiatria do HC/FMUSP oferece o Curso de Atualização em Reabilitação Neuropsicológica dos Transtornos Psiquiátricos.

O curso é direcionado a Psicólogos, Neuropsicólogos, Terapeutas Ocupacionais, Fonoaudiólogos, Pedagogo, Médicos e outros profissionais da área da saúde.

As aulas acontecem das 18h às 22h.

PROGRAMAÇÃO:

04 e 11/08/2017
Módulo I – Introdução à reabilitação geral; Treino de memória de trabalho; Tecnologia e Reabilitação: uso de aplicativos e softwares específicos

18 e 25/08/2017 e 01/09/2017
Módulo II – Introdução à reabilitação infantil. Técnicas aplicadas no Hospital Dia Infantil (HDI); Técnicas utilizadas em ansiedade e TDAH.

15 e 22/09/2017
Módulo III – Técnicas em diferentes contextos nos transtornos psiquiátricos;Técnicas utilizadas com pacientes admitidos nas enfermarias; Técnicas utilizadas no Hospital Dia Adulto (CRHD); Técnicas utilizadas no ambulatório; Técnicas utilizadas em consultório.

29/09/2017
Módulo IV – Reabilitação do idoso: introdução e técnicas.

* Aulas presenciais serão realizadas às sextas-feiras, das 18h às 22h.

Inscrições:

escritoriodeprojetos.ipq@hc.fm.usp.br
Tel.: 11 2661-8046

Local:

Instituto de Psiquiatria do HCFMUSP
Rua Dr. Ovídio Pires de Campos, 785
Cerqueira Cesar – São Paulo -SP
05403-010

Fonte: IPq/HC/FMUSP

Curso Multiprofissional de Capacitação no Processo Transexualizador

A Escola de Educação permanente do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, oferece o I Curso Multiprofissional de Capacitação no Processo Transexualizador (Médico).

O curso tem carga horária de 60 horas e está sendo oferecido na modalidade a distância.

Direcionado a médicos (psiquiatras, endocrinologistas e cirurgiões).

O Curso capacitará profissionais da saúde envolvidos nos cuidados às pessoas transexuais e, desta forma, contribuirá para a melhoria da qualidade de vida desta população.

Após a conclusão do curso EAD, o participante terá a oportunidade de participar do curso prático que será realizado no Hospital das Clínicas da FMUSP em 2017 (data e programação a serem definidas). O pré-requisito para participação será obter nota final 7,0 no curso EAD.

Fonte: EEP/HC/FMUSP

Palestra gratuita no IPq/HC/FMUSP

Dependências tecnológicas

Dia 25/05/2017, das 10h às 11h, acontece palestra aberta e gratuita sobre dependências tecnológicas: até que ponto a tecnologia é boa ou ruim?, apresentada pelo psiquiatra Rodrigo Machado, colaborador do Grupo de Dependências Tecnológicas do IPq.

Local: IPq
Auditório do 1º andar
Rua Dr. Ovídio Pires de Campos, 785 – Cerqueira César – SP.

Fonte: IPq/HC/FMUSP