Conheça os principais tópicos de pesquisa liderados pelo Sistema FMUSP-HC no mundo

Principais tópicos de pesquisa liderados pelo Sistema FMUSP-HC no mundo

Imagine uma base de dados que indexe as principais revistas da comunidade científica de uma área, selecionando todos os artigos dessas revistas e suas citações nos últimos dez anos e dizendo quais são as pesquisas de mais alto desempenho no mundo.

Por exemplo, a área de Neurociência e Comportamento publicou nos últimos dez anos 516.024 artigos, que receberam 9.384.458 citações, em revistas indexadas na Web of Science e foram consideradas as mais citadas apenas 5.197 artigos.

Aquela base de dados existe e se chama Essential Science Indicators (ESI) e ela rotula “highly cited papers” apenas 1% dos artigos mais citados no mundo numa determinada área e ano.

Veja abaixo os percentis dessa área por ano:

Onde, para fazer parte de 1% dos trabalhos mais citados em Neurociência em 2008, o artigo precisa ter ao menos 279 citações e assim por diante. A cada três meses esse quadro é atualizado.

O Sistema FMUSP-HC publicou, no período de 2011 a 2018, um total de 288 top papers em 10 das 22 áreas da ESI com a seguinte distribuição:

Área Distribuição
Clinical Medicine 195
Psychiatry/Psychology 29
Neuroscience & Behavior 21
Social Sciences, General 20
Molecular Biology & Genetics 6
Immunology 6
Biology & Biochemistry 4
Pharmacology & Toxicology 3
Environment/Ecology 3
Physics 1
288

Questões: desses 288 trabalhos publicados, quais lideramos? Em quais revistas foram publicados? E em quais assuntos?

Para responder à primeira pergunta identificamos[1], no universo dos trabalhos, em quais artigos ocupávamos as seguintes posições: primeiro autor (considerado por muitos como o autor principal); último autor (considerado por muitos como a posição do orientador) e autor correspondente (considerado o autor responsável pela intermediação entre o grupo de pesquisa e o editor da revista). O resultado foi que figuramos em 29 trabalhos como primeiro autor; 23 como último autor e 27 como autor correspondente, os quais totalizaram 43 trabalhos.

Abaixo, uma árvore criada com a ferramenta InCites, das primeiras 25 revistas onde os artigos foram publicados.

Para responder à terceira pergunta, selecionamos esses 43 trabalhos e, com a ajuda do software VosViewer, construímos uma rede de palavras usando as key word plus da Web of Science que resultou na seguinte figura:

Os nós maiores equivalem a uma quantidade maior de ocorrências e as cores delimitam áreas.

Os parâmetros utilizados pela base de dados ESI, que identifica pesquisas de alto desempenho, vão além da contagem de artigos publicados e de suas citações, pois consideram também as tendências mundiais. Essas são métricas aceitas na comunidade científica internacional e não refletem o impacto social das descobertas.

Para saber mais sobre essa análise, entre em contato conosco pelo email: biblioteca@fm.usp.br

[1] Este trabalho foi realizado pela Frente de Trabalho – Publicações Internacionais, dentro do Eixo de Internacionalização do Planejamento FMUSP 2019.

Fonte: Biblioteca Central da FMUSP

IPq recruta voluntários com epilepsia para pesquisa e tratamento

voluntarioTriagem de pacientes voluntários com diferentes tipos de epilepsia

O Grupo de Estudo em Epilepsia do Instituto de Psiquiatria do HC-FMUSP está com triagens abertas para estudo e tratamento de pacientes (homens e mulheres), da infância à fase adulta, que apresentem os seguintes tipos de epilepsia:
Epilepsia Rolândica ou Epilepsia da Infância com Paroxismos Centrotemporais – tipo de epilepsia benigna infantil que geralmente é resolvida na adolescência. Ela se caracteriza por convulsões durante o sono e envolvem tremores, demência ou formigamento;
Epilepsia Mioclônica Juvenil – tipo de epilepsia benigna que se manifesta perto do período da puberdade, caracterizada por tremores rápidos no corpo;
Epilepsia de Lobo Temporal – uma das síndromes epilépticas mais comuns no adulto, embora o início das crises frequentemente ocorra na infância. Pacientes com este tipo de epilepsia costumam se queixar de dificuldades importantes de memória;
Reabilitação cognitiva para pacientes com epilepsia mioclônica juvenil – abordagem que busca compensar as dificuldades cognitivas (memória, atenção, aprendizagem, impulsividade, etc.) presentes na vida do paciente, visando proporcionar maior integração social do indivíduo.
Informações completas e inscrições no site:
https://www.epilepsiahc.org/

Fonte: Instituto de Psiquiatria HC-FMUSP

Entrevista com médico brasileiro sobre transplante de útero com doadora falecida

O Hospital das Clínicas da FMUSP tornou-se notícia na imprensa internacional!

Uma mulher que recebeu um útero transplantado de um doador falecido deu à luz uma criança saudável, no dia 04/12/2018. É o primeiro desses nascimentos a ser relatado no Brasil.

Confira a entrevista do Dr. Dani Ejzenberg, ginecologista do HC-FMUSP, para o The New York Times, sobre caso do primeiro bebê nascido de transplante de útero com doadora falecida: https://www.nytimes.com/…/heal…/uterus-transplant-birth.html

Fonte: HC/FMUSP

Encontro sobre Espiritualidade e Psiquiatria / Saúde Mental

O Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da FMUSP promove, dia 22/08/2018, das 10h às 12h30 o Encontro sobre Espiritualidade e Psiquiatria / Saúde Mental.

O encontro acontece no anfiteatro e salas 40 e 50 (4º andar – ala central – IPq)

O evento é gratuito e não há necessidade de inscrição.

Fonte: IPq/HC/FMUSP

Voluntários para estudo clínico no HC/FMUSP

Voluntariado-capaO Hospital das Clínicas da FMUSP recruta voluntários para estudo clínico com nova medicação.

Critérios para inscrição:  diabéticos com doenças vasculares como angina, infarto, AVC, aneurisma, amputações, etc. e pessoas que não conseguem tomar remédios prescritos para baixar o colesterol.

Contato:
e-mail: a.rosa@hc.fm.usp.br
Tel.: (11) 3061-7258

Fonte: HC/FMUSP

 

HC promove campanha de prevenção do câncer de pele

A Clínica de Dermatologia do Hospital das Clínicas realizará no dia 2 de dezembro um mutirão para diagnóstico e prevenção do câncer de pele.

A doença, quando identificada precocemente, tem 90% de chances de cura.

Segundo o dermatologista Eugênio Pimentel, responsável pela campanha, devem procurar atendimento médico as pessoas que apresentam múltiplas pintas, manchas ou pintas que estão se modificando, feridas que não cicatrizam ou lesões de crescimento rápido e/ou contínuo.

Os atendimentos são gratuitos e acontecem das 9h às 15h, no ambulatório da Dermatologia (5º andar do Prédio dos Ambulatórios – Av. Enéas de Carvalho Aguiar, 155).

Fonte: HC/FMUSP