Especialização em Terapia Ocupacional em Contexto Hospitalar

O Serviço Terapia Ocupacional do ICHC- FMUSP dará início este ano ao Curso de Especialização de Terapia Ocupacional em Contextos Hospitalares. As aulas serão ministradas por docentes da Universidade de São Paulo, pela equipe de Terapia Ocupacional do ICHC, e outros profissionais de referência nas diferentes áreas.

As inscrições devem ser feitas pelo site: eep.hc.fm.usp.br até 21/01.

 

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto
Fonte: Revista de Terapia Ocupacional da FMUSP
Anúncios

Plataforma de Imagem na Sala de Autópsia PISA abre para visitação

A Plataforma de Imagem na Sala de Autópsia PISA, abre visitação para visita monitorada do único equipamento de Ressonância Magnética (RM) de ultra alto campo da América Latina.

A visita pode ser realizada no dia 18/12/2017, segunda–feira, e tem aproximadamente 40 minutos de duração.

As visitas serão realizadas às 7h30, 9h30, 11h30, 13h00, 14h30 e 16h00.

É necessário chegar com 15 minutos de antecedência para preenchimento do questionário de segurança.

saiba mais…

Mais informações pelo telefone (11) 3061-7487 ou e-mail: pisa@hc.fm.usp.br

Fonte: FMUSP

 

HC/FMUSP busca voluntários para pesquisa clínica

voluntarioO Hospital das Clínicas da FMUSP busca voluntários que sofreram Acidente Vascular Cerebral (AVC ou derrame) e ficaram com fraqueza em um dos braços.

Os voluntários participarão de pesquisa clínica que avaliará os efeitos do tratamento com fisioterapia e estimulação cerebral e de nervos periféricos.

As inscrições podem ser feitas de segunda à sexta-feira, das 8h às 12h, pelo telefone: (11)2661-7955.

Fonte: HC/FMUSP

HC busca voluntários com doenças cardiovasculares

voluntarioO Grupo de Diabetes do Serviço de Endocrinologia e Metabologia do Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), em São Paulo, busca voluntários, homens e mulheres, para participarem de estudo clínico que avaliará os efeitos de duas novas medicações para a prevenção de doenças cardiovasculares.

Os interessados devem ser portadores de algum fator de risco para doença cardiovascular (pressão alta, diabete, obesidade, fumantes, entre outros) ou já serem portadores de doenças cardiovasculares, com lesões em artérias do coração, do cérebro e em membros inferiores, comprovadas em exames.

O estudo terá duração de três a quatro anos. Ele ocorrerá no Centro de Pesquisas do Hospital das Clínicas. As pessoas que se enquadrarem nesse perfil devem entrar em contato pelo e-mail a.rosa@hc.fm.usp.br ou pelo telefone (11) 3061-7258 e falar com Adriana Rosa, de segunda a sexta-feira, das 9 às 14 horas.

Da Assessoria de Imprensa do HC

HC/FMUSP busca voluntários para estudo

Voluntariado-capaO Grupo de Diabetes do Serviço de Endocrinologia e Metabologia do Hospital das Clínicas da FMUSP busca voluntários, homens e mulheres, para participarem de estudo clínico que avaliará os efeitos de duas novas medicações para a prevenção de doenças cardiovasculares.

Os interessados devem ser portadores de algum fator de risco para doença cardiovascular (pressão alta, diabetes, obesidade, fumantes) ou já serem portadores de doenças cardiovasculares, com lesões em artérias do coração, do cérebro e em membros inferiores, comprovadas em exames.

O estudo terá duração de 3 a 4 anos. Ele acontecerá no Centro de Pesquisas do Hospital das Clínicas. As pessoas que se enquadrarem neste perfil devem entrar em contato pelo e-mail: a.rosa@hc.fm.usp.br ou pelo telefone 3061.7258 e falar com Adriana Rosa, de segunda a sexta-feira, das 9h às 14h.

Foto: Jornal da USP

Terapia Genética poderá ser utilizada para tratamento de leucemias

A rádio USP de Ribeirão Preto realizou entrevista com o professor da Faculdade de Medicina da USP e diretor da Fundação Pró-Sangue Hemocentro de São Paulo, Vanderson Geraldo Rocha, sobre a Terapia genética utilizada nos EUA para tratar pacientes com leucemia aguda.

O método, ainda em fase experimental, consiste na retirada dos linfócitos T e em sua modificação a partir de vetores virais. A leucemia é uma doença cancerígena na qual as células da medula óssea se proliferam de forma desorganizada na corrente sanguínea. Os tratamentos mais comuns são quimioterapia e transplante da medula óssea. No entanto, a FDA (Food and Drug Administration), agência que regulamenta o uso de medicamentos nos Estados Unidos, autoriza o uso da terapia genética em casos de linfoblásticos, mais recorrentes na infância.

De acordo com o professor, o método ainda é experimental e consiste em retirar os linfócitos T. A ideia é modificá-los usando vetores virais que alteram o DNA dessas células. Assim, as partículas extraídas tornam-se aptas para combater as cancerosas, que levam à leucemia. A técnica é usada em último recurso, quando não há outra forma de cura.

O médico explica que o procedimento é caro e, diferente do Brasil, os pacientes dos EUA são inseridos com frequência em protocolos de pesquisa científica. No entanto, ele afirma que a Fundação Pró-Sangue e o Serviço de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular do Hospital das Clínicas (HC) tem como objetivo trazer a terapia genética para o Brasil. Não existe nenhum centro médico que faça uso dessa prática na América Latina.

Acesse o áudio da entrevista aqui!

Fonte: Jornal da USP

 

Pós-doutorado no Incor/HC/FMUSP

diadomedicoO Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP abriu uma vaga de pós-doutorado para o Projeto Temático “Bases moleculares da função e da disfunção tubular renal”. O prazo de inscrição acaba no dia 30 de novembro de 2017.

O projeto busca compreender os mecanismos moleculares envolvidos na regulação da função tubular renal, esclarecer como a disfunção tubular renal pode contribuir para a fisiopatologia da hipertensão arterial e da doença renal crônica, bem como elucidar mecanismos moleculares subjacentes às ações tubulares renais de agentes antidiabéticos.

Busca-se para a vaga candidato com ideias inovadoras para compreender os mecanismos moleculares envolvidos na regulação da função tubular renal em condições fisiológicas e fisiopatológicas. O candidato deve ter doutorado recente em ciências em um tópico relacionado à Fisiologia Renal. Além disso, deve ter experiência prévia em Bioquímica e Biologia Molecular e conhecimento nos modelos experimentais célula e animal.

A bolsa tem duração de dois anos e os candidatos interessados deverão enviar e-mail para a professora coordenadora do projeto, Adriana Castello Costa Girardi (accgirardi@gmail.com), com currículo atualizado, carta de apresentação e carta de recomendação.

Fonte: FAPESP