Ensino de terapêuticas não convencionais nas escolas médicas

revmedA Revista de Medicina do Departamento Científico da Faculdade de Medicina USP (FMUSP) está com a edição 92, n.4, 2013 online.

O artigo Educação médica em terapêuticas não convencionaisde autoria dos professores da FMUSP, Marcus Zulian Teixeira e Chin An Lin, pode ser acessado gratuitamente neste link.

O trabalho faz uma revisão atualizada, discorrendo sobre a validade do ensino na graduação e na pós-graduação (residência médica) de terapêuticas como a homeopatia e a acupuntura. O estudo trata também das atitudes da população e da classe médica, as iniciativas do ensino acadêmico em diversos países e os benefícios que o aprendizado destas terapêuticas pode trazer à população e à formação médica.

Mais informações: email mzulian@usp.br

Natureza Imaterial do Homem – download gratuito

natureza_imaterial

Acesse gratuitamente o livro do Prof. Dr. Marcos Zulian Teixera.

O intuito é contribuir com a disseminação, fortalecimento e ampliação da ciência, da filosofia e da arte de curar homeopática.

Resenha do livro

Além da materialidade grosseira do corpo físico, sempre se acreditou na existência de uma natureza imaterial do homem, assumindo várias conotações ao longo das diversas civilizações humanas.

Em todas as filosofias e religiões, termos como alma, espírito, mente, força vital, etc. são citados, representando uma entidade energética-espiritual com ascendência sobre a entidade orgânica-material. Além disso, atribui-se ao espírito (alma) uma natureza eterna, imortal, ao contrário da existência limitada e passageira do corpo material.

Até o século XIX, existia na medicina a noção de uma força vital responsável pela manutenção do equilíbrio das funções orgânicas e da saúde, sendo substituída, no século XX, pelos princípios cartesianos que localizaram a causa das doenças nos órgãos, nos tecidos e nas células.

Dentre as especialidades médicas atuais, a homeopatia apresenta em seu corpo doutrinário a noção de que o binômio saúde-doença se fundamenta num substrato material-energético (força vital, princípio vital). Apesar de utilizar esse conceito filosófico para explicar a gênese profunda das enfermidades, apresenta um modelo terapêutico fundamentado pelos conhecimentos experimentais e científicos da medicina moderna.

Nessa obra, buscamos estudar comparativamente as diversas escolas médicas e filosóficas que valorizam os veículos sutis de manifestação da individualidade humana, evidenciando, através das semelhanças conceituais encontradas, que este conhecimento espiritualista provém de uma fonte primordial comum, que remonta ao início da humanidade terrena.

Através das inúmeras citações e referências bibliográficas, o leitor poderá se aprofundar no estudo desta natureza imaterial humana, não alimentando esse trabalho qualquer pretensão de esgotar um assunto de tamanha complexidade e importância para o entendimento do homem e de seu papel no atual ciclo de evolução terrena.

Acesse gratuitamente o livro em pdf!

Prof. da FMUSP publica artigo no periódico Homeopathy

O médico e pesquisador Marcus Zulian Teixeira, da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) publicou o artigo: Immunomodulatory drugs (natalizumab), worsening of multiple sclerosis, rebound effect and similitude, no periódico britânico Homeopathy.

“O artigo traz dados para a fundamentação científica do princípio de cura homeopático perante a farmacologia moderna. O fenômeno que a farmacologia clássica chama de ‘efeito rebote’ é o que a homeopatia utiliza como resposta terapêutica, uma ação secundária do organismo. Buscando despertá-la, é realizada a prescrição dos medicamentos homeopáticos. E as doses são ínfimas, pois têm o objetivo de estimular uma reação do organismo sem causar efeitos adversos”, explica Zulian Teixeira.

Medicamentos ‘alopáticos’ atuam a partir do “princípio dos contrários” — de forma contrária ou paliativa aos sintomas das doenças: anti-inflamatórios, antitérmicos, antidepressivos, antiácidos. Efeito rebote é o agravamento dos sintomas clínicos ocasionado pela suspensão abrupta desses medicamentos. É também chamada de “reação paradoxal ou secundária”: uma reação contrária do organismo, numa tentativa de manter a homeostase (equilíbrio fisiológico interno) alterada pelo fármaco, e que pode ocorrer com medicamentos que atuam contrariamente aos sintomas das doenças.

Na homeopatia, os medicamentos atuam a partir do “princípio da similitude”: toda droga capaz de despertar determinados sintomas em pessoas sadias pode ser utilizada para despertar uma reação curativa em pessoas doentes com os mesmos sintomas. “O tratamento utiliza substâncias que causam sintomas semelhantes aos das doenças, a fim de estimular uma reação do organismo contra os próprios sintomas”, esclarece. “O café, que causa insônia, é utilizado homeopaticamente para tratar a insônia; a camomila, que causa cólica, é utilizada homeopaticamente para tratar a cólica; a beladona, que causa febre, é utilizada homeopaticamente para tratar a febre, etc.”, esclarece. “Essa ação homeostática, vital ou secundária do organismo é cientificamente explicada pelo efeito rebote das drogas alopáticas”, defende.

Acesse o artigo na íntegra: neste link.

Fonte: USP