Curso a distância da USP fala sobre uso racional de medicamentos

comprimidosAté o dia 07 de agosto de 2017 estão abertas as inscrições para o curso a distância: Fundamentos para o Uso Racional de Medicamentos, promovido pelo o Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP.

O uso racional de medicamentos é para que o paciente receba a medicação apropriada para sua situação clínica, nas doses adequadas às suas necessidades individuais, pelo tempo necessário e ao menor custo possível. O curso irá oferecer a profissionais e estudantes na área médica, odontológica, farmacêutica e de enfermagem os fundamentos básicos para a administração racional dos fármacos desde sua prescrição.

Estão disponíveis 100 vagas e as inscrições devem ser realizadas por e-mail: aizenst@icb.usp.br

A taxa de inscrição é de R$ 120. O conteúdo programático do curso engloba cerca de 4 horas de atividades semanais e totaliza 52 horas/aula.

Serão fornecidos certificados aos alunos que obtiverem aproveitamento em 70% dos testes e participação em 85% das aulas.

Fonte: ICB

Descoberta aponta novo alvo para o tratamento do Herpes Zoster

Pesquisadores desvendam mecanismo da dor aguda no herpes zoster

Pessoas que desenvolveram herpes zoster e sofrem com um quadro de dores agudas ganharam um aliado no tratamento dessa doença. Pesquisadores do Centro de Pesquisas em Doenças Inflamatórias (Crid) conseguiram desvendar o mecanismo que gera a dor aguda e que também contribui para o desenvolvimento de dor crônica nesses pacientes. O trabalho foi publicado na revista Journal of Neuroscience no início do mês.

O herpes zoster é uma doença infecciosa causada pelo vírus Varicella zoster, o mesmo que causa a catapora na infância e está presente em 95% das pessoas. Em torno de 96% dos pacientes acometidos pela doença apresentam dor aguda e debilitante, que impede tarefas cotidianas, como tomar banho ou se vestir.

Dados dos Centers for Disease Control and Prevention (CDC), nos Estados Unidos, mostram que uma a cada três pessoas desenvolverá herpes zoster em algum momento da vida. No Brasil, não há dados específicos, mas segundo o Sistema de Informações Hospitalares do SUS, aproximadamente 10 mil pessoas são internadas por ano em virtude de complicações causadas pelo vírus Varicella zoster. Ele fica dormente durante a maior parte da vida do indivíduo e pode ser reativado em pessoas imunossuprimidas, ou seja, cujo sistema imune não funciona corretamente, ou após os 50 anos de idade, quando o organismo fica mais suscetível a quedas na imunidade.

“Quando o vírus infecta o indivíduo, atinge os queratinócitos, que são as células da pele. Por isso, há a formação de lesões características. Em seguida, ele infecta os neurônios sensitivos, também presentes na pele, e segue até encontrar o gânglio da raiz dorsal ou o gânglio trigeminal, no caso do rosto, onde está o corpo celular desses neurônios. É ali que o vírus permanece por anos, em um período de latência, depois que o sistema imune controla a infecção. Se há uma queda no sistema imunológico, ele sofre um processo de reativação e volta a se replicar, a produzir novos vírus, causando uma inflamação no gânglio. Ele faz, então, o caminho inverso: é transportado até a pele e causa as lesões zosteriformes, que também são bolhas. Essa inflamação das células nervosas é responsável por causar a dor intensa”, explica o pesquisador principal do Crid e professor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP Thiago Mattar Cunha, um dos autores do trabalho.

saiba mais…

Fonte: Jornal da USP

Curso gratuito na FSP/USP

A Faculdade de Saúde Pública da USP, em parceria com o centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, está com inscrições abertas para o Curso Gratuito de Aperfeiçoamento em Gestão Das Ações de Vigilância e Controle da Tuberculose, que acontecerá no segundo semestre deste ano.

O curso visa habilitar profissionais gestores de nível superior para atuar nos diversos setores atrelados à vigilância e controle da tuberculose. Além disso, durante o curso serão ministradas aulas sobre “Epidemiologia, diagnóstico, tratamento e prevenção da tuberculose; Planejamento, monitoramento e avaliação; Sistemas de informação; SUS/SUAS – articulação e mobilização social, comunicação.”

Para participar da seleção é preciso preencher a  ficha de inscrição online – que pode ser encaminhada até o dia 12/07/2017 –  e enviar cópia em formato PDF de documentação comprobatória (RG, CPF, diploma, por exemplo) para o e-mail cursos_eventos@fsp.usp.br. Também é indispensável submeter-se a prova escrita que acontecerá no dia 15/07/2017 às 09:00.

Mais informações: acesse aqui

 

Fonte: FSP/USP

 

Como escolher a melhor revista para publicar seu artigo

O Sistema Integrado de Bibliotecas da USP, a Biblioteca “Cyro de Andrade” da Escola de Educação Física e Esporte e a Thomson Reuters/Clarivate Analytics, promovem, dia 26 de junho de 2017, o Workshop de Publicação Científica “Como escolher a melhor revista para publicar seu artigo”.

Escolher a melhor revista científica para publicar seu artigo requer uma série de estratégias que podem incluir critérios como escopo, corpo editorial, periodicidade e alcance. Para além desses elementos básicos, indicadores e métricas podem ser adicionados para estabelecer o fator de impacto, meia-vida, índice de imediaticidade, etc. Tais informações podem ser obtidas em índices internacionais multidisciplinares de citações como o Journal Citation Reports.

O público alvo são os docentes, bibliotecários, pós-doutorandos, alunos de pós-graduação e pesquisadores.

As inscrições podem ser feitas pelo link: https://www.doity.com.br/escolher-revista-jcr-2017

== Programação ==

– Contexto geral da publicação científica na atualidade
– Ranking internacional de revistas científicas: Journal Citation Report (JCR) e seus indicadores
– Fator de Impacto: o que é e para que serve
– Outras métricas de avaliação de revistas
– Como selecionar a melhor revista para seu artigo
– Exemplos e casos práticos das áreas de Biológicas, Exatas e Humanas

Instrutora: Deborah Dias – (Clarivate Analytics/Thomson Reuters)
Organização e Promoção: Departamento Técnico do SIBiUSP e Biblioteca “Cyro de Andrade” da EEFE/USP

Local:
Escola de Educação Física e Esporte (EEFE) – Auditório
Avenida Professor Mello de Morais, 65, Butantã
05508-030 – São Paulo – SP

Fonte: SIBiUSP

 

Livros eletrônicos na íntegra para a comunidade USP

Desde o início de maio de 2017, o Sistema Integrado de Bibliotecas (SIBi) da USP disponibilizou na íntegra de mais de 19 mil livros eletrônicos da Editora Wiley para todos os professores, estudantes e funcionários da Universidade.

O pacote de e-books estará disponível até 24/04/2018.

O acesso é autorizado a partir do reconhecimento do IP da Universidade, ou seja, o número que identifica de onde vem o acesso de um determinado computador.

Além dos e-books, foram adquiridas três obras de referência em acesso perpétuo:  

  Comprehensive Physiology
eLS – Encyclopedia of Life Sciences

Ullmann’s Encyclopedia of Industrial Chemistry

Fonte: DBD/FMUSP

USP em Ribeirão Preto busca pessoas para receber próteses de olho

A Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (Forp) da USP está cadastrando pessoas que perderam o globo ocular e precisam implantar uma prótese ou trocar a já existente.

Os interessados passarão por uma triagem e exames que serão realizados nos dias 9, 22 e 23 de junho, às 9 horas, na Forp, localizada no campus da USP em Ribeirão Preto (Av. Bandeirantes, 3.900). A faculdade sugere que o interessado já apresente um laudo médico que libere o implante da prótese ou que o solicite ao seu oftalmologista.

O agendamento deve ser feito pelos telefones (16) 3315-4084 ou 3315-3968 e também pelo e-mail triagem@forp.usp.br.

A iniciativa faz parte do trabalho desenvolvido pela professora Claudia Helena Lovato da Silva, da Forp. Os implantes poderão ser objeto de pesquisa sobre o método de confecção de próteses e o impacto delas na qualidade de vida dos pacientes.

“A intenção do implante é devolver a estética e a autoestima ao paciente. Além disso, a prótese também protege a cavidade ocular e a ajuda a movimentação das pálpebras”, diz a professora.

Mais informações: e-mail triagem@forp.usp.br, telefones (16) 3315-4084 e (16) 3315-3968

Com informações da Assessoria de Comunicação da Forp

Fonte: Jornal da USP

14ª edição do QS Ranking 2017

RankingNa 14ª edição do ranking, a USP segue como a instituição brasileira melhor avaliada

A USP foi classificada em 121º lugar, pelo QS World University Ranking, divulgado no dia 7 de junho, pela consultoria britânica especializada em ensino superior Quacquarelli Symonds. Considerando que existem aproximadamente 26 mil universidades no mundo, esse resultado coloca a USP no grupo formado por 1% das melhores instituições.

No topo da lista estão o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) – que lidera o ranking pelo sexto ano consecutivo –, seguido da Universidade de Stanford (2º), da Universidade de Harvard (3º) e do Instituto de Tecnologia da Califórnia (4º), todas instituições norte-americanas. A Universidade de Cambridge, do Reino Unido, completa a relação das cinco melhores.

Ao todo, 22 instituições brasileiras foram classificadas. Depois da USP, a segunda melhor posicionada foi a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), na 182ª posição, seguida da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em 311ª.

QS World University

Publicado desde 2004 pela Quacquarelli Symonds – organização internacional de pesquisa em educação, especializada em instituições de ensino superior – o ranking avaliou mais de 4 mil universidades do mundo todo e classificou as 959 melhores, de acordo com seis indicadores: reputação acadêmica, reputação entre empregadores, proporção de professor para estudante, citações científicas, número de estudantes estrangeiros e corpo docente internacional.

Em dois desses indicadores, o desempenho da Universidade se destaca. No quesito Reputação acadêmica, que avalia a importância que a comunidade acadêmica global dá para o ensino, a pesquisa e o ambiente acadêmico de cada instituição, a Universidade atingiu a 42ª maior pontuação; já em Reputação entre empregadores, que reflete a opinião dos empregadores sobre a qualidade da formação profissional oferecida, a USP ficou na 61ª posição.

Além do ranking geral divulgado hoje, a USP também se sobressai nos rankings específicos da instituição. No QS World University Rankings by Subject, divulgado no dia 7 de março, a USP ficou entre as melhores universidades do mundo em 42 das 46 áreas de concentração avaliadas, e em nove áreas ela ficou entre as 50 melhores do mundo: Odontologia (18ª posição); Engenharia de Minérios e Minas (25ª); Ciências da Atividade Física e Esportes (31ª); Arquitetura (35ª); Agricultura e Silvicultura (35ª); Ciência Veterinária (38ª); Arte & Design (42ª); Antropologia (42ª); e Direito (50ª).

Fonte: Jornal da USP