Bibliotecas e o suporte ao pesquisador: novas frentes e desafios

O Sistema Integrado de Bibliotecas (SIBi) da USP realizou o Seminário “Bibliotecas e o suporte ao pesquisador: novas frentes e desafios” no dia 25 de outubro de 2018 na Universidade de São Paulo. O evento integrou as atividades da XXI Semana do Livro e da Biblioteca e Semana Internacional do Acesso Aberto, que aconteceu de 22 a 26 de outubro de 2018. 

A globalização e a crescente complexidade da Ciência e das atividades de pesquisa têm exercido cada vez mais pressão sobre os pesquisadores e os grupos de pesquisa, no que se refere à produção científica, ao exercício das atividades acadêmicas e administrativas, bem como no acompanhamento e melhoria do desempenho tanto do pesquisador quanto da Universidade. Nesse cenário, observa-se a necessidade cada vez maior de apoio, tanto a docentes quanto a alunos de pós-graduação, graduação e grupos de pesquisa.

Por outro lado, em anos recentes, o papel das bibliotecas universitárias no suporte à pesquisa começou a se ampliar e diversificar. Hoje, o trabalho desenvolvido pelas bibliotecas inclui a prestação de serviços de pesquisa, apoio na utilização de ferramentas de busca e sistemas de descoberta, acesso a materiais, dados e recursos eletrônicos além do catálogo, assistência à pesquisa avançada em áreas temáticas, elaboração de guias e tutoriais, projetos e parcerias entre as bibliotecas e a comunidade de pesquisa. Análise bibliométrica da produção científica, identificação digital, atualização de perfis e currículos online, promoção de workshops e treinamentos sobre ferramentas de pesquisa, escrita, orientação sobre direitos autorais, prevenção de plágio e apoio à gestão de dados de pesquisa são algumas das novas frentes.

Nesse ambiente rico em interações tanto de pessoas quanto de conteúdos e ferramentas, sobressai a importância das bibliotecas no cumprimento da missão das universidades em relação à sociedade e no que diz respeito ao avanço da pesquisa e da ciência.

As apresentações estão disponíveis no link: https://goo.gl/saqEuP

Fonte: SIBiUSP

Anúncios

USP Lecture “Mulheres na Ciência: Grandes Destaques 2018”

A Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade de São Paulo, promove, dia 03/12/2018, das 14h às 17h o evento USP Lecture “Mulheres na Ciência: Grandes Destaques 2018”.

Em 2018, muitos foram os prêmios entregues a cientistas pelas suas realizações e contribuições com a sociedade e o evento tem como objetivo homenagear todas as MULHERES cientistas!

As palestrantes serão Susana Inés C. de Torresi, Professora do Instituto de Química da USP, ganhadora do 1º Prêmio para Mulheres Brasileiras em Química e Ciências Relacionadas e Sabrina Francesca S. Lisboa, Biomédica da FMRP USP, Ganhadora do Prêmio L’óreal para Mulheres na Ciência 2018.

O evento é gratuito, não requer inscrição prévia e oferece certificado aos presentes.

Saiba mais em: https://www.facebook.com/events/195865807991792/

Local
Sala do Conselho Universitário – Rua da Reitoria, 374 – térreo. Cidade Universitária – São Paulo/SP.
Transmissão ao vivo: http://iptv.usp.br/

Fonte: Equipe de Comunicação e Eventos
Pró-Reitoria de Pesquisa Universidade de São Paulo

Evento na USP discute oportunidades tecnológicas na área de saúde

No dia 08 de novembro, às 08h30, no SUPERA Parque, acontecerá o evento: Oportunidades Tecnológicas em Biotecnologia em Saúde Humana e Animal.

Organizado pela Agência USP de Inovação e pelo SUPERA Parque, o evento tem como intuito estimular a cooperação entre o meio acadêmico e empresarial, apresentando patentes desenvolvidas pela USP e pela Unesp Jaboticabal.

A programação conta com palestras de pesquisadores da USP, de grandes empresas e de startups, apresentando experiências bem-sucedidas de desenvolvimento de novas tecnologias.

Inscreva-se: http://superaparque.com.br/biotecsa/

Local e informações:

SUPERA Parque de Inovação e Tecnologia de Ribeirão Preto
Av.: Dra. Nadir Aguiar, n° 1.805 – Jd. Paulo Gomes Romeu – Ribeirão Preto / SP
Tel.: (16) 3315-0735 / 3315-0263
e-mail: polo.rp@usp.br

Fonte: USP inovação

USP Talks – Bactérias

Você sabia que a maioria das bactérias que existem no mundo são inofensivas ou até benéficas para o ser humano? Muitas delas são, inclusive, essenciais para a nossa sobrevivência! Mas há também aquelas que nos fazem mal; e a má notícia é que a capacidade da medicina de nos proteger delas está diminuindo rapidamente. O uso indiscriminado de antibióticos vem gerando “superbactérias”, que nenhum antibiótico é capaz de destruir. Como resolver isso?

Para falar sobre o tema, os convidados serão:

Natalia Pasternak, bióloga, com especialização em microbiologia (estudo de bactérias, vírus e outros microrganismos). É pesquisadora-colaboradora do ICB-USP e divulgadora científica, coordenadora do Pint of Science Brasil.

Nilton Lincopan é farmacêutico, professor do Departamento de Microbiologia do ICB-USP, especialista em resistência microbiana. Seu grupo identificou, em 2016, a presença de um gene de superresistência em bactérias no Brasil, chamado MCR-1.

Lembramos que o USP Talks é gratuito, sem inscrição prévia e com certificado.

Data: 30 de outubro de 2018
Local: Auditório do MASP – Museu de Arte de São Paulo: Av. Paulista, 1578
Horário: 18h30 às 19h30
Lotação máxima do auditório: 374 lugares (O ingresso será disponibilizado na bilheteria do MASP a partir das 16:30h e a entrada no auditório é feita a partir das 18:00h).

Para mais informações, acesse o nosso evento no Facebook: http://bit.ly/usptalks_24

Fonte: Equipe de Comunicação e Eventos – Pró-Reitoria de Pesquisa – Universidade de São Paulo

Estudo propõe reduzir radiação para exames de imagem pediátricos

Campanha da Sociedade Brasileira de Pediatria alerta para os riscos da exposição excessiva de crianças e adolescentes a exames de diagnóstico por imagem, como raios X, tomografias, ultrassonografias e ressonância. A proposta é estimular o uso racional dessas ferramentas, contando com o apoio de pais e profissionais de saúde. Para melhor entender o assunto, o Jornal da USP no Arconversou com o professor Paulo Costa, do Grupo de Dosimetria das Radiações e Física Médica do Instituto de Física da USP.

O professor ressalta que o tema é de grande preocupação para o Colégio Brasileiro de Radiologia e toda a comunidade. Não existem regras específicas sobre os exames radiológicos, mas Costa revela duas principais orientações: o princípio de justificação, em que o médico deve atestar a necessidade do procedimento e certificar se já não foi feito em outra instituição; e o princípio da otimização, a fim de garantir que a aplicação do exame seja o mais bem planejada possível, de acordo com as características dos pacientes.

Foto: Marcos Santos / USP Imagens

Apesar de haver relação entre a incidência radiológica e riscos subsequentes, como o câncer, ainda não é possível mensurar o quanto um exame de imagem pode incidir nessa questão. Porém, medidas de segurança podem ser tomadas, principalmente no caso das crianças. Costa cita, como exemplo, um estudo conduzido pela Agência Internacional de Energia Atômica, com parceria entre a Faculdade de Medicina e o Instituto de Física. As investigações possibilitaram uma redução da quantidade de radiação nos exames de imagem pediátricos, antes feitos com a mesma parcela dos procedimentos em adultos. A partir da iniciativa, será criado um modelo capaz de expandir o uso desse recurso por outras instituições.

Outra possibilidade de garantir maior segurança nesses procedimentos médicos pediátricos é a criação de uma carteirinha que registre os exames já feitos pelas crianças, comenta o professor. Dessa forma, os procedimentos já realizados seriam de conhecimento do médico e dos pais, e as informações também poderiam auxiliar estudos epidemiológicos no futuro.

Fonte: Jornal da USP

 

Estudo da USP São Carlos busca voluntários para tratamento de espinhas

Voluntariado-capaO Centro de Estudos em Óptica e Biofotônica (Cepof), do Instituto de Física de São Carlos (IFSC) da USP, em parceria com o Programa de Pós Graduação em Ciências Biomédicas da Fundação Hermínio Ometto, está selecionando 40 voluntários para participar de pesquisa científica envolvendo tratamento de acne.
Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, acne é o nome dado a espinhas e cravos que surgem devido a um processo inflamatório das glândulas sebáceas e dos folículos pilossebáceos. É frequente na adolescência, mas ocorre também em adultos, principalmente em mulheres.
Para o tratamento, o estudo da USP envolve terapia cosmética fotoativada com ácido 5-aminolevulínico (ALA). Podem participar homens e mulheres entre 18 e 40 anos, com fototipo I e II, ou seja, pessoas com pele branca que sempre queima, nunca bronzeia e é muito sensível ao sol, ou então pessoas com pele branca que sempre queima, bronzeia muito pouco e é sensível ao sol. Também é necessário ter pele de oleosa a acneica, apresentando acne nos graus I, II ou III.
A seleção de voluntários ocorre até dia 25 de outubro. O local de tratamento será na Cecília Costa Pilates & Estética Integrada, localizada na Rua Major Manoel Antonio de Mattos, 1.635, em São Carlos.
As inscrições devem ser realizadas diretamente com a fisioterapeuta Maria Cecilia da Costa Pinto, pelo WhatsApp no número (16) 98809-3209.
Fonte:  Assessoria de Comunicação do IFSC 

USP ocupa a 8ª posição no CWTS Leiden Ranking

Os indicadores bibliométricos têm sido evidenciados ao longo dos últimos anos para descrever o desempenho científico em inúmeros âmbitos. Por meio da aplicação de métodos estatísticos e matemáticos, esses recursos auxiliam a observação sobre a dinâmica e a evolução da informação científica e tecnológica de disciplinas, áreas, organizações e países. Uma das ferramentas estatísticas com essa abordagem indexadas no acervo do Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) é o CWTS Leiden Ranking.

Compilado pelo Centro de Estudos em Ciência e Tecnologia (Centre for Science and Technology Studies – CWTS) da Universidade de Leiden (Holanda), o recurso é um ranking universitário global anual baseado exclusivamente em indicadores bibliométricos que incluem dados como número de publicações, citações por publicação e impacto por publicação. O CWTS Leiden Ranking também classifica as universidades por colaboração científica, incluindo outras instituições e parceiros da indústria.

O ranking de 2018 – que envolve o período de 2013 a 2016 – contém mais de 900 universidades e pode ser acessado por meio do Portal de Periódicos. A líder absoluta do ano é a Universidade de Harvard (Estados Unidos), com o número total de 33.045 publicações. A Universidade de São Paulo (USP) é a oitava colocada da lista, com 16.120 publicações contabilizadas, sendo quase oito mil registros da área de Ciências Biomédicas e da Saúde. Outras 20 instituições brasileiras compõem a classificação, de acordo com o gráfico:

Além da seleção de indicadores bibliométricos, os usuários têm à disposição a visualização de resultados em três perspectivas – lista, gráfico e mapa. A mais conhecida, segundo o editor, é a exibição de lista tradicional, que permite classificar as universidades de acordo com um indicador selecionado. A visualização por gráfico apresenta as universidades em dispersão, para que o usuário explore o desempenho das instituições usando dois indicadores selecionados. O mapa, por sua vez, permite uma perspectiva geográfica sobre as entidades e seu desempenho.

Por meio da plataforma, o editor disponibiliza rankings a partir de 2011, enfatizando a importância de ter uma perspectiva multidimensional de performance das instituições acadêmicas e científicas. O CWTS Leiden Ranking é baseado exclusivamente em dados da Web of Science** – base de dados da Clarivate Analytics disponível no acervo da biblioteca virtual da CAPES. O acesso ao Leiden Ranking pode ser realizado por meio da opção buscar base.

Fonte: Portal de Periódicos da CAPES