USP lança maior banco de genomas de brasileiros

celulasPor que alguns de nós vivem mais e outros vivem menos? Doenças #genéticas são as mesmas na população do Brasil e de outros lugares?

Mayana Zatz e Michel Naslavsky, do Centro de Pesquisa sobre o Genoma Humano e Células-Tronco (CEGH-Cel), querem buscar as respostas por meio do primeiro grande banco de #genomas só de brasileiros.

O banco vai melhorar o diagnóstico das doenças na nossa população e permitir investigar com precisão as #mutações genéticas – ou #variantes, como os cientistas falam – que acontecem com mais frequência em nosso país. O CEGH-Cel é financiado pela Fapesp.

Assista o vídeo abaixo e saiba mais sobre o Centro de Pesquisa:
https://www.facebook.com/cienciausp/videos/479628982161316/

Fonte: USP

 

Voluntários para pesquisa no IPq/HC/FMUSP

Crianças e adolescentes

voluntarioO Departamento de Neuropsicologia do Instituto de Psiquiatria do HC/FMUSP busca crianças e adolescentes de 8 a 17 anos, que estejam em tratamento psiquiátrico e apresentem problemas de atenção, para acompanhamento em grupo de estudo.

Serão oferecidos treino de atenção e orientação a pais/responsáveis.

Serão 12 encontros semanais, tudo gratuito.

Informações e inscrições:
e-mail: treinodeatencao@gmail.com

Fonte: IPq/HC/FMUSP

Universidade de São Paulo firma parceria técnico-científico com a Fiocruz

O acordo de cooperação técnico-científico entre a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – FMRP e a Fiocruz tem como parceiros também a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCLRP) da USP e o Hospital das Clínicas local.

Os primeiros estudos dessa parceria são na área de imunologia e vão reunir pesquisadores das duas instituições. Um prédio da Faculdade está sendo reformado para instalar a Fiocruz. Os investimentos envolvem mais de 60 milhões de reais de recursos oriundos da própria Fiocruz e da USP, do governo do estado de São Paulo e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP).

Fonte: USP

Diretrizes para o Fortalecimento da Reabilitação nos Sistemas de Saúde

Diretrizes para o Fortalecimento da Reabilitação nos Sistemas de Saúde lançadas na OMS são coordenadas pela Secretária de São Paulo, Dra. Linamara Rizzo Battistella.deficiencia

A Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Governo do Estado de São Paulo, Dra. Linamara Rizzo Battistella, lançou na sede da Organização Mundial da Saúde, em Genebra, Suíça, as Diretrizes para o Fortalecimento da Reabilitação nos Sistemas de Saúde. A Secretária é médica fisiatra e professora titular da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. O lançamento foi em 06 de fevereiro de 2017.

A elaboração e a organização do documento foram coordenadas pela Dra. Linamara Rizzo Battistella e será o instrumento que servirá como parâmetro para os países membros da Organização Mundial da Saúde. O trabalho foi iniciado em 2013 e reuniu especialistas e representantes de todas as regiões do mundo. Após três anos de pesquisa e trabalho, foi lançada a publicação com as Diretrizes que visam garantir a saúde e melhorar a qualidade de vida das pessoas com deficiência, que no mundo somam 1 bilhão, segundo dados revelados pela Organização Mundial da Saúde, em 2011.

Fonte: Governo do Estado de São Paulo

A.C.Camargo Cancer Center integra projeto global sobre o câncer

O A.C.Camargo Cancer Center é um dos três parceiros brasileiros do programa de pesquisa Grand Challenge, anunciado pelo Cancer Research UK, órgão de fomento de pesquisas sobre câncer do Reino Unido, que investirá 100 milhões de libras (R$ 390 milhões de reais) nessa ação. Os demais participantes brasileiros do projeto são o Hospital de Câncer de Barretos e o Instituto Nacional de Câncer (INCA).

A instituição fará parte de um dos projetos que compõem o programa, o Mutographs of cancer: discovering the causes of cancer through mutational signatures, liderado por Mike Stratton, diretor do campus voltado às pesquisas sobre Genoma do Wellcome Trust Sanger Institute, no Reino Unido, informou a Assessoria de Comunicação do A.C.Camargo Cancer Center.

O objetivo desse projeto é entender como a interação da população com o meio ambiente e comportamentos de risco, como fumar e consumir bebida alcoólica, por exemplo, podem levar ao desenvolvimento de câncer devido aos danos ao DNA que as nossas células sofrem pela ação desses agentes.

Em um grande esforço global, será feito o sequenciamento do exoma (todos os éxons do genoma de um indivíduo) de 5 mil amostras de tumores de rim, pâncreas, esôfago (células epiteliais e escamosas) e de intestino, que serão coletadas nos cinco continentes.

Em caráter prospectivo, a instituição participará da contribuição brasileira ao projeto por meio da coleta de amostras a serem sequenciadas e da aplicação de questionário padronizado junto aos pacientes, que avaliará variáveis como hábitos alimentares e exposição a agentes carcinogênicos. No total, o programa contará com 900 amostras brasileiras.

Com duração de cinco anos, o Grand Chalenge procura redefinir o câncer como uma doença que as pessoas possam conviver com ela. São sete perguntas-chave relacionadas ao câncer.

Os projetos aprovados pelo Grand Challenge para os próximos cinco anos visam melhorar a eficácia das estratégias de diagnóstico por imagem e molecular, com implicações do tratamento personalizado; distinguir as lesões de fato indolentes das lesões com potencial de invasão em casos de carcinoma ductal in situ, direcionando quais pacientes com esse subtipo de câncer de mama podem ser poupadas ou beneficiadas pelo tratamento; e outro projeto que visa criar representações virtuais de tumores e uma base de dados global que catalogará a sua composição genética e metabolismo, podendo levar a novas formas de diagnosticar e tratar a doença.

Mais informações estão disponíveis em http://www.cancerresearchuk.org/about-us/cancer-news/press-release/2017-02-10-cancer-research-uk-announces-inaugural-grand-challenge-teams-to-answer-the-biggest-questions-in

Fonte: FAPESP

Mecanismo da regulação da expressão gênica pelo tecido adiposo

Um estudo apoiado pela FAPESP e publicado hoje (15/02) na revista Nature revelou que o tecido adiposo secreta pequenas moléculas de RNA que caem na circulação sanguínea e regulam, em tecidos distantes como o fígado, a expressão de genes importantes para o metabolismo.

Experimentos com camundongos mostraram que com o envelhecimento a produção desses microRNAs no tecido adiposo tende a diminuir – fenômeno que, segundo os autores, parece estar associado ao desenvolvimento de doenças comuns em idosos, como diabetes. A descoberta abre caminho para o desenvolvimento de intervenções capazes de reverter o processo.

O artigo “Adipose-Derived Circulating miRNAs Regulate Gene Expression in Other Tissues” pode ser lido em: http://www.nature.com/nature/journal/vaop/ncurrent/full/nature21365.html.

saiba mais…

Fonte: FAPESP

Palestra gratuita “Entre a Medicina e a História”

O Arquivo Geral da USP e a Associação de Arquivistas de São Paulo promovem, dia 16 de março, às 14h, a palestra “Entre a medicina e a história: a experiência do Museu Histórico da Faculdade de Medicina – USP”.

A palestra será ministrada por André Mota, Doutor em História pela USP, Professor do Departamento de Medicina Preventiva da FM e Coordenador do Museu Histórico Prof. Carlos da Silva Lacaz – FMUSP.

O objetivo da conferência é a de apresentar como como o Museu foi criado, bem como se deu o projeto de requalificação de suas atividades a partir do ano de 2009 e, nesse sentido, tratar de suas bases constitutivas atuais relativas à organização do acervo documental e museológico, da viabilização de exposições temáticas abertas ao público e do desenvolvimento de pesquisas no âmbito acadêmico sobre o conhecimento médico e da saúde pública.

As inscrições gratuitas podem ser feitas pelo email: cursos@arqsp.org.br

 

Mais informações:
tel.: (11) 3091-8459   |   (11) 2648-8247
email: ag.eventos@usp.br
http://www.usp.br/arquivogeral

Local:
Rua Francisco dos Santos, 107 – Cidade Universitária
05508-900 – São Paulo (SP)

Fonte: SIBiUSP