USP abre inscrições para Programas de residência na área da saúde

inovaçõesDe 20 de julho a 17 de agosto, a Fuvest recebe inscrições de candidatos interessados em participar dos Programas de Residência em Área Profissional da Saúde da USP, nas modalidades uni e multiprofissional, período letivo 2018 a 2020. As normas do processo seletivo foram estabelecidas pela USP por meio da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária e da Comissão de Residência Multiprofissional (Coremu).

Essa residência é uma modalidade de ensino de pós-graduação lato sensu destinada às profissões da saúde, sob a forma de curso de especialização. Ela é caracterizada por ensino em serviço, com carga horária de 60 horas semanais, incluindo plantão, e duração mínima de dois ou três anos anos.

Poderão participar os candidatos que concluíram ou venham a concluir, até o dia 1º de março de 2018, bacharelado em um dos seguintes cursos de graduação: Biomedicina, Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Física, Física Médica, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia, Psicologia, Serviço Social e Terapia Ocupacional, e que, até o dia da matrícula, obtenham a inscrição definitiva ou provisória no respectivo conselho regional de classe, sempre que for aplicável.

A taxa de inscrição é de R$ 265,00 e deve ser feita na área Usuários do site da Fuvest. O processo seletivo terá duas fases. A primeira será constituída de prova objetiva, realizada nos municípios de Bauru, Ribeirão Preto e São Paulo, no dia 3 de setembro.

A segunda fase – realizada obrigatoriamente no município que sedia a primeira (ou única) opção do candidato – é composta de duas etapas: etapa 1, prova dissertativa, ocorrerá em 8 de outubro, e a etapa 2, análise curricular presencial, de 9 a 11 de outubro.

Serão oferecidas 211 bolsas, divididas em 11 agrupamentos. Cada candidato poderá concorrer, em sua área profissional, a até dois programas ou áreas de concentração de um mesmo agrupamento. A residência prevê ainda uma bolsa para os classificados no valor de R$ 3.330,43 que será custeada pelo Ministério da Saúde.

Os programas de residência da USP têm carga horária total mínima de 5.760 horas, com atividades teóricas e práticas e devem ser cursados em regime de dedicação exclusiva, não sendo permitido desenvolver outras atividades profissionais no período de sua realização.

Mais informações: site http://www.fuvest.br

Da Assessoria de Imprensa da Fuvest

IPq/HC/FMUSP busca voluntários saudáveis para pesquisa

Voluntariado-capa

O Grupo de Interconsultas do Instituto de Psiquiatria do HC/FMUSP convida pessoas de ambos os sexos, sendo mulheres entre 40 e 69 anos e homens entre 20 e 59 anos, que não tenham depressão, doença clínica não estabilizada (diabetes, hipertireoidismo, lúpus, etc.) e não façam uso de polivitamínicos ou qualquer medicamento psiquiátrico, para participar de estudo.

Será oferecido um check-up composto por exames laboratoriais (sangue e urina), eletrocardiograma e avaliação da dieta habitual. Os resultados, que incluem avaliação dos níveis de vitamina B12, ácido fólico e selênio, serão repassados aos participantes gratuitamente.

Os interessados devem entrar em contato com Soraya Pimentel ou Angela Bastos – tel.: 11 26617804, de segunda a sexta-feira, das 9h às 13h ou pelo e-mail psicofarmacologia.aplicada@gmail.com

Fonte: IPq/HC/FMUSP

Curso de Especialização em Saúde do Trabalhador debaterá o assédio moral no trabalho

O Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP/Fiocruz) promoverá, no dia 25 de julho, a aula aberta do Curso de Especialização em Saúde do Trabalhador. Com o tema Os ataques à saúde mental de quem trabalha: o assédio moral, a atividade contará com a participação da professora adjunta do Departamento de Saúde Coletiva da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Terezinha Martins. A palestra será no salão internacional da ENSP, a partir das 13 horas. Não é necessária inscrição prévia, e o evento é aberto a todos os interessados.

Terezinha Martins esteve na ENSP em 2016, durante as comemorações dos 62 anos da Escola. Na ocasião, a professora falou sobre O assédio moral e sexual e a gestão de instituições públicas. Segundo ela, o assédio moral é maior do ponto de vista numérico e pior do ponto de vista qualitativo no serviço público. “Quando somos assediados, não somente adoecemos: nos matamos ou nos deprimimos. Mas também diminuímos a qualidade do nosso serviço e produção. Portanto, a consequência do assédio a um servidor é dupla, isso visto da ótica do trabalhador e da ótica do serviço prestado à população, que é quem paga nossos salários”, afirmou ela.

Leia aqui a matéria na íntegra.

Fonte: ENSP/Fiocruz

Estudos apontam que dor crônica tem relação com ansiedade e depressão

De acordo com pesquisadores do Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo há uma forte relação bidirecional entre ansiedade ou depressão e algumas doenças físicas crônicas.

A dor crônica foi a mais comum entre os indivíduos com transtorno de humor – como depressão e bipolaridade –, ocorrendo em 50% dos casos de transtornos de humor, seguidos por doenças respiratórias (33%), doença cardiovascular (10%), artrite (9%) e diabetes (7%).

Os distúrbios de ansiedade também são largamente associados com dor crônica (45%) e doenças respiratórias ( 30%), assim como com artrite e doenças cardiovasculares (11% cada). A hipertensão foi associada a ambos os distúrbios em 23%. O resultado do estudo é que indivíduos com transtornos de humor ou de ansiedade tiveram duas vezes mais chance de apresentar doenças crônicas.

O artigo, publicado no Journal of Affective Disorders, faz parte do São Paulo Megacity Mental Health Survey, levantamento concluído em 2009 no âmbito do Projeto Temático “Estudos epidemiológicos dos transtornos psiquiátricos na Região Metropolitana de São Paulo: prevalências, fatores de risco e sobrecarga social e econômica”, financiado pela FAPESP.

Os pesquisadores afirmam no estudo a necessidade clara de tornar o diagnóstico e o tratamento da saúde mental uma prioridade no sistema de saúde. Andrade alerta ainda que o esperado é que a prevalência dessas doenças aumente nos próximos anos na Região Metropolitana de São Paulo.

“Ao pesquisar a questão de saúde das cidades é possível notar um aumento das prevalências de depressão e ansiedade, muito provavelmente ligado à alteração de estilo de vida na metrópole. Então é possível esperar que haja um aumento também em todo o pacote, não só de depressão e ansiedade, mas também de outras doenças como infarto, acidente vascular cerebral, diabetes, hipertensão e dor”, disse.

Estudos anteriores já haviam mostrado de forma consistente a associação entre doenças crônicas e transtornos de humor e ansiedade. Mas ainda não se sabe porque a relação entre dor crônica e ansiedade ou depressão é tão intensa, pois os mecanismos fisiopatológicos da dor crônica são pouco conhecidos.

A comorbidade pode ser explicada a partir das limitações comportamentais devido a doenças físicas, que restringem o indivíduo a exercer atividades gratificantes.

Andrade explica que, assim como as células do sistema de defesa são ativadas quando há uma invasão por um agente patógeno, o estresse psicológico em uma situação ambiental – como, por exemplo, viver em uma cidade como São Paulo – acaba ativando o sistema inflamatório.

“Aumento da inflamação, lesões do endotélio – camada de célula presente em todos os vasos sanguíneos – e danos oxidativos são algumas vias que podem estar relacionadas à ocorrência da comorbidade. Consequentemente, é imperativo que sintomas depressivo-ansiosos sejam tratados agressivamente em pacientes com condições médicas crônicas, pois sua resolução pode ser acompanhada por melhora geral sintomática e uma importante diminuição no risco de mortalidade e complicações”, disse Andrade.

No entanto, de acordo com a pesquisadora, ainda é preciso fazer mais pesquisa enfocando a interação entre depressão, ansiedade e doenças físicas crônicas para elucidar os mecanismos pelos quais se originam as doenças.

O artigo Dual burden of chronic physical diseases and anxiety/mood disorders among São Paulo Megacity Mental Health Survey Sample, Brazil (http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0165032717308364), de Melanie S. Askari, Laura Helena Andrade, Alexandre Chiavegatto Filho, Camila Magalhães Silveira, Erica Siu, Yuan-Pang Wang, Maria Carmen Viana, Silvia S. Martins, pode ser lido em http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0165032717308364.

Fonte: FAPESP

Ranking THE 2016-2017

Brasil tem o melhor desempenho na América Latina

Confira a classificação das Universidades Brasileiras:

Segundo o ranking da Times Higher Education (THE), publicado na madrugada de hoje (20), o Brasil é o país latino-americano com o melhor desempenho na lista de 2017: das dez primeiras colocadas, cinco são universidades brasileiras.

O país também tem outras 27 instituições listadas. Unicamp fica em primeiro lugar.

Veja as dez melhores universidades da América Latina:

  1. Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) – Brasil
  2. Universidade de São Paulo (USP) – Brasil
  3. Pontifícia Universidade Católica do Chile – Chile
  4. Universidade do Chile – Chile
  5. Universidade dos Andes – Colômbia
  6. Instituto de Tecnologia e Ensino Superior de Monterrey México
  7. Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) – Brasil
  8. Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – Brasil
  9. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) – Brasil
  10. Universidade Nacional Autônoma do México – México


Confira a lista completa: https://www.timeshighereducation.com/world-university-rankings/latin-america-university-rankings-2017-results-out-now

Fonte: SIBi/USP

Prêmio Doutor Cidadão 2017 está com inscrições abertas

Prêmio Doutor Cidadão 2017: inscreva seu projeto de 1º de agosto a 15 de setembro

De 1º de agosto a 15 de setembro, estarão abertas as inscrições para a oitava edição do Prêmio Doutor Cidadão. A iniciativa da Associação Paulista de Medicina visa reconhecer e valorizar os projetos sociais de médicos e acadêmicos nas áreas da saúde, assistência social, educação, cultura ou meio ambiente no estado de São Paulo.

A inscrição deve ser feita pelo portal da APM, em página específica do prêmio. Os projetos serão divididos em duas categorias: Acadêmicos de Medicina (1º e 2º lugar) e Médicos – Pessoa Física (1º e 2º lugar), e os prêmios variam de R$ 3.500 a R$ 15.000.

Devem ser enviados em arquivo PDF por e-mail premiodrcidadao@apm.org.br. Serão aceitos os trabalhos entregues até às 23 horas do dia 15 de setembro. Lembrando que não serão considerados os encaminhados via correspondência ou pessoalmente.

O anúncio dos vencedores acontecerá em 27 de outubro, na sede da APM, em solenidade de premiação. O edital com o regulamento das inscrições estará disponível em breve no site da entidade.

Sobre a iniciativa

A APM reconhece, desde 2004, os programas sociais idealizados e/ou executados por médicos e acadêmicos da Medicina. A escolha dos vencedores é feita por uma comissão julgadora, que analisa o impacto da atuação dos candidatos nas políticas públicas de saúde, as metas de curto e médio prazo, a relação custo e benefício da ação, os resultados e o número de pessoas atendidas.

Fonte: APM

Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo Grave é tema de palestra na FMUSP

O Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da USP promove mensalmente a Reunião de Atualização em Temas Relevantes da Prática Clínica. No dia 2 de agosto, o tema é Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo Grave – das estratégias ventilatórias ao suporte extracorpóreo.

Os palestrantes são Bruno Adler Maccagnan Pinheiro Besen (médico assistente da UTI Clinica da Emergências Clinicas do Hospital das Clínicas da FMUSP) e Bruno Tomazzelli (médico residente do Programa de Medicina Intensiva da FMUSP).

O público-alvo são médicos residentes, alunos, médicos, professores e profissionais da área da Saúde.

O evento é gratuito e não há necessidade de inscrição.

A aula acontece das 7h30 às 8h30, no Teatro da FMUSP.

Fonte: USP