IMT/USP promove evento sobre Febre Amarela

O Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo, promove, dia 23/02/2018, das 9h às 12h, o evento “Novos desafios de um antigo problema: Febre Amarela”.

Mais informações:
email: cpq-imt@usp.br

LOCAL:
Instituto de Medicina Tropical de São Paulo/SP – USP
Anfiteatro Mario Camargo

Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 470 – Cerqueira Cesar, São Paulo, SP

Fonte: FMUSP

 

Anúncios

Brasil tem acesso ilimitado à Biblioteca Cochrane

Novo Contrato de Licença Nacional fornece ao Brasil acesso ilimitado à Biblioteca Cochrane

John Wiley e Sons Inc. anunciaram um novo contrato de licença com o Brasil que oferece acesso ilimitado à Biblioteca Cochrane.

O acordo de dois anos, fornece aos acadêmicos, clínicos e interessados em geral, acesso a mais de 7.000 revisões sistemáticas publicadas em intervenções de saúde.

O acesso foi possível devido ao contrato assinado pela CAPES e Wiley.

De acordo com Geraldo Nunes Sobrinho, Diretor de Programas e Bolsas para a CAPES “ao investir na Biblioteca Cochrane para o Brasil, estamos considerando a saúde futura de nossa população”.

Saiba mais…

Fonte: Cochrane

FMUSP promove o Curso Avançado de Patogênese do HIV

O Curso Avançado de Patogênese do HIV acontece de 04 a 11 de abril de 2018, na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

O curso é direcionado a alunos de pós-graduação e profissionais de saúde.

As inscrições podem ser realizadas no link: http://app.patogenesedohiv.com.br/inscricao

O curso está integrado às atividades do Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (Disciplina MCM5895) e conta com palestrantes nacionais e internacionais.

Mais informações:
http://www.patogenesedohiv.com.br/
e-mail: contato@patogenesedohiv.com.br

Local:
FMUSP
Av. Dr. Arnaldo, 455 (próximo ao metrô clínicas)

Fonte: FMUSP

Informações do Ministério da Saúde sobre Febre Amarela

Na página do Portal da Saúde é possível acessar informações atualizadas sobre a doença:

  • Informe Epidemiológico
  • Mapa com a área de recomendação de vacina
  • Orientações para gestores, profissionais de saúde e população

Sintomas da Febre Amarela:

Acesse: http://www.saude.gov.br/febreamarela

O Ministério da Saúde divulgou um balanço da situação da vacinação e da febre amarela. Veja a apresentação completa aqui.

Fonte: Ministério da Saúde

Agência da ONU alerta que epidemia de influenza causa até 650 mil mortes por ano

OMS diz que vacinação é única maneira de evitar a influenza
__________________________________

A Organização Mundial da Saúde, OMS, afirmou que os surtos de gripe podem causar até 650 mil mortes anualmente por complicações respiratórias. E segundo a agência, a melhor forma de evitar a doença é a vacinação.

O alerta foi feito durante um briefing em Genebra, sede da OMS, na terça-feira. Especialistas alertam que nesta estação, existem três tipos e subtipos de influenza, H1N1, H3N2 e B. Todos esses vírus estão circulando, mas diferem entre países e regiões. A alta de casos também foi registrada em áreas tropicais incluindo o Equador.

Hospitalização

Na América do Norte, por exemplo, o número de atendimentos em postos de saúde por influenza e doenças similares, é o mais alto das últimas sete épocas de gripe.

O tipo mais comum do vírus é o H3N2, mas as notificações do tipo B já começam a crescer dentre os pacientes testados. Nos Estados Unidos, as taxas de hospitalização estão no mesmo nível dos anos passados.

Já na Europa, os casos de influenza permanecem altos na maioria dos países com destaque para o norte e noroeste do continente.  No norte da África e oeste da Ásia, o tipo de vírus mais comum é o H1N1 seguido pela influenza B.

Grávidas, crianças e idosos

De acordo com a OMS, grávidas em qualquer mês de gestação, crianças entre 6 meses e 5 anos, idosos acima de 65 anos, trabalhadores de saúde e pessoas com doenças crônicas devem tomar a vacina contra a gripe anualmente.

A imunização é mais eficiente que antirretrovirais. Esse tipo de medicamento só funciona se ingerido nas primeiras 48 horas após surgirem os sintomas.

Com a vacina, milhões de doenças e dezenas de milhares de hospitalizações associadas à gripe podem ser evitadas todos os anos.
Mesmo assim, alguns pacientes imunizados ainda podem contrair a gripe, mas estudos comprovam que com a vacina, a doença é suavizada.

A OMS afirma não ser possível saber de antemão que tipo de vírus irá circular durante a estação de gripe, por causa da evolução natural.

Por isso, duas vezes ao ano, a composição da vacina é revisada para assegurar a proteção adequada.
A agência garante que as vacinas estão sendo testadas regularmente há mais de 60 anos e são seguras e eficientes.

Fonte: Monica Grayley – ONU News