Fiocruz detecta mutação associada a variantes de preocupação no país

Em comunicado técnico publicado nesta quinta-feira (4/3) pelo Observatório Covid-19 Fiocruz, pesquisadores alertam para a dispersão geográfica no território de ‘variantes de preocupação’, assim como sua alta prevalência nas três regiões do Brasil avaliadas (Sul, Sudeste e Nordeste). 

O novo protocolo de RT-PCR, desenvolvido pela Fiocruz Amazônia, foi utilizado nas unidades de apoio ao diagnóstico e centrais analíticas da Fiocruz para avaliação de cerca de mil amostras dos estados de Alagoas, Ceará, Minas Gerais, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. O protocolo detecta a mutação comum em três das ‘variantes de preocupação’ (P1, identificada inicialmente no Amazonas, B.1.1.7, no Reino Unido e B.1.351, na África do Sul), que são potencialmente mais transmissíveis. A avaliação contou com o apoio do Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Vigilância em Saúde.

De acordo com o Observatório, a alta circulação de pessoas e o aumento da propagação do vírus Sars-CoV-2 tem favorecido o surgimento de ‘variantes de preocupação’ no Brasil, como é o caso da variante P1, identificada no Amazonas. O comunicado alerta para um cenário preocupante que alia o perfil potencialmente mais transmissível dessas variantes à ausência de medidas que possam ajudar a conter a propagação e circulação do vírus. 

Dos oito estados avaliados neste recorte apenas dois não tiveram prevalência da mutação associada às variantes de preocupação superior a 50 %: caso de Minas Gerais, com 30,3% das amostras testadas como positivo para a mutação e, Alagoas, com 42,6%.

saiba mais…

Fonte: FIOCRUZ

13 cursos da USP estão entre os 50 melhores do mundo

USP tem o melhor desempenho da América Latina, impulsionada pelos cursos de Odontologia, Engenharia de Petróleo e Engenharia de Minas

Montagem sobre elementos  QS (Quacquarelli Symonds)

AUSP está entre as melhores universidades do mundo em 44 das 51 áreas específicas avaliadas no QS World University Ranking by Subject, divulgado hoje, dia 3 de março.

Desse total, 13 áreas específicas foram classificadas entre as 50 melhores: Odontologia (13ª posição); Engenharia de Petróleo (29ª); Engenharia de Minas (34ª); Turismo (37ª); Engenharia Civil e de Estruturas (39ª); Ciência Veterinária (40ª); Antropologia (44ª); Geografia (46ª); Agricultura e Silvicultura (46ª); Direito (46ª); Línguas Modernas (47ª); Arquitetura (48ª); Ciências Políticas e Relações Internacionais (50ª).

Em 19 áreas específicas a Universidade ficou entre a 51ª e a 100ª posição; em nove áreas, entre as 150 melhores; e, em três áreas, entre as 200 melhores.

As áreas específicas são agrupadas em cinco grandes áreas e a USP está entre as 100 melhores na classificação geral de todas as cinco: Ciências Sociais e Administração (52ª), Artes e Humanidades (57ª), Ciências da Vida e Medicina (74ª), Ciências Naturais (75ª) e Engenharia e Tecnologia (86ª).

Liderança na América Latina

Nesta 11ª edição do ranking, foram avaliados 13.883 cursos de 1.440 universidades do mundo todo, sendo 32 brasileiras. Impulsionada principalmente pela boa classificação dos cursos de Odontologia, Engenharia de Petróleo e Engenharia de Minas, a USP foi a instituição da América Latina com melhor desempenho no ranking.

“Uma notícia positiva para o setor de ensino superior brasileiro é que sua principal universidade continua a afirmar seu status de potência de pesquisa do continente”, afirmou Ben Sowter, vice-presidente sênior de serviços profissionais da QS.

A Universidade de Harvard e o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês) lideram o ranking, cada uma com 12 cursos em primeiro lugar.

Publicado desde 2011 pela Quacquarelli Symonds, organização britânica de pesquisa especializada em instituições de ensino superior, o ranking avaliou as universidades de acordo com quatro indicadores (reputação acadêmica, reputação entre empregadores, citações científicas e índice H), adaptados de acordo com cada área específica.

saiba mais…

Fonte: Jornal da USP

FIOCRUZ convoca acadêmicos e profissionais da saúde para participarem do estudo com a vacina BCG

A pneumologista Margareth Dalcolmo, coordenadora do Brace Trial Brasil (BTB), no Rio de Janeiro, convoca os acadêmicos e profissionais da saúde para participarem do estudo com a vacina BCG, que visa reduzir o impacto da Covid-19 em trabalhadores de saúde.

Fonte: FIOCRUZ

Lançamento do programa In.Cube, sediado no Instituto de Radiologia do HCFMUSP

Núcleo de Inovação Tecnológica do HCFMUSP lança programa In.cube

Lançamento do programa In.Cube, sediado no Instituto de Radiologia do HCFMUSP

O InovaHC, Núcleo de Inovação Tecnológica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP), e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo (SDE-SP) realizaram o evento de lançamento da primeira edição do In.cube, no dia 22 de fevereiro de 2021.

O In.cube é o programa de apoio à inovação do InovaHC e da SDE-SP para geração de novos negócios – produtos, processos e serviços – de saúde e impacto social, a partir de pesquisas e projetos de base tecnológica inseridos no Complexo HCFMUSP. A metodologia criada e testada no In.cube servirá como alicerce para a consolidação de políticas públicas para inovação, ciência e tecnologia no Estado, almejando a replicação em outros institutos de ciência e tecnologia e de pesquisa de São Paulo.

Para participar da primeira edição do In.cube, no dia 9 de dezembro de 2020, foi apresentado ao público o edital para seleção de projetos do programa, com a abertura oficial das inscrições. Os 71 projetos inscritos até o dia 24 de janeiro de 2021 foram triados pela equipe do In.cube, analisados às cegas por uma rede de pareceristas especialistas, classificados e referendados pela Comissão de Inovação do HCFMUSP. Foram selecionados 20 projetos com base na pontuação dos critérios do edital.

O evento, sediado no Instituto de Radiologia (InRad), contou com a participação restrita – devido à pandemia de COVID-19 e às determinações do Plano São Paulo – de representantes da Secretaria de Estado da Saúde e da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, profissionais e autoridades do Sistema FMUSP-HC, além de lideranças de instituições públicas e privadas. Ao restante do público, o lançamento teve transmissão ao vivo pelos canais digitais do Inova HC.

Continue a leitura em: https://hconline.hc.fm.usp.br/n728_2021.htm

Fonte: FMUSP

Treinamentos EBSCO

Capacitações | Março 2021
  EBSCOhost®Acesse as sessões EBSCOhost para membros da biblioteca e usuários finais.
EBSCO eBooks™
Participe das diversas sessões orientadas aos responsáveis pelo desenvolvimento de coleções, membros do pessoal da biblioteca e usuários finais. Você aprenderá sobre as coleções de eBooks da EBSCO, como gerenciar recursos e melhores práticas para este tipo de conteúdo. 
 
Recursos na área da Saúde
Estas sessões são dirigidas a estudantes, pesquisadores, professores e profissionais das Ciências da Saúde e áreas afins, assim como a bibliotecários que desejam conhecer as principais ferramentas e benefícios das diferentes interfaces e bases de dados que permitem o desenvolvimento da melhor pesquisa; assim como a melhor tomada de decisões no ponto de atendimento. 
 
Full Text Finder
Estas sessões foram desenvolvidas para novos usuários do Full Text Finder que queiram rever todas as características principais. Existem alternativas orientadas aos usuários finais e outras para os administradores. 
 
Editores
Com estas capacitações você irá adquirir mais conhecimento sobre os editores: IEEE, OECD Library, Taylor & Francis, Sage Journals e muito mais. Entre nesta categoria e escolha qual é o treinamento que mais se ajusta às suas necessidades. Há sessões online e também gravadas. 
Fonte: EBSCO

Projeto de qualificação profissional reduz tempo de permanência na emergência do SUS

Com participação de ex-alunas da USP, iniciativa aplicada em 56 hospitais do Sistema Único de Saúde em quatro Estados também reduziu tempo de internação e de espera para atendimento médico especializado

A superlotação nos serviços de urgência e emergência sempre foi apontada como um dos principais problemas do Sistema Único de Saúde (SUS) no Brasil. Embora seja único, o serviço é ofertado gratuitamente ou mediante pagamento. E com a chegada da pandemia, a barreira aparentemente intransponível entre o atendimento público e o conveniado, feito pela rede particular, se dissolveu. 

De acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, pouco mais de 28% dos brasileiros eram clientes de algum tipo de plano de saúde em 2019. Em alguns Estados, no entanto, mesmo para essa pequena parcela da população, não há garantias de acesso a leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Em São Paulo, por exemplo, 86% dos hospitais privados identificaram aumento rápido e crescente de internações por covid-19 nos dez primeiros dias do ano. Um levantamento do Sindicato dos Hospitais, Clínicas, Laboratórios e Demais Estabelecimentos de Saúde do Estado de São Paulo apurou que 72% dos hospitais tinham taxa de ocupação dos leitos de UTI superior a 71%.

“A superlotação constitui um fenômeno contemporâneo e global, em que suas causas e consequências ocasionam forte impacto sobre a gestão clínica e a qualidade do atendimento. Portanto, não pode ser considerado um fenômeno isolado”, afirma Gizelda Monteiro da Silva, gerente do Laboratório de Implementação do Conhecimento em Saúde do HCor. 

saiba mais…

Fonte: Jornal da USP

Trombectomia mecânica é incorporada ao SUS após resultados de estudo brasileiro

Estudo sobre o tratamento foi conduzido por pesquisadores brasileiros em 12 hospitais da Rede Nacional de Pesquisa em AVC, coordenada pelo professor Octávio Marques Pontes Neto, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto

Após o estudo clínico Resilient comprovar benefício da trombectomia mecânica como tratamento de Acidente Vascular Cerebral (AVC) isquêmico, o Ministério da Saúde (MS) incorporou o procedimento no Sistema Único de Saúde (SUS). A Portaria SCTIE/MS nº 5 foi publicada no Diário Oficial da União nesta semana.

“Constatamos que o tratamento realizado dentro de 8 horas após o início dos sintomas de AVC em conjunto com o tratamento padrão resultou em melhores resultados funcionais em 90 dias do que o tratamento padrão sozinho”, afirma professor Octávio Marques Pontes Neto, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP, que é coautor do estudo.

Segundo o professor Daniel Giansante Abud, da FMRP, um dos autores de estudo e coordenador do Setor de Neurorradiologia Intervencionista do Hospital das Clínicas da FMRP, “os resultados apontam um aumento de 21% para 35% de independência dos pacientes após o tratamento. Além disso, houve uma redução de 16% da mortalidade ou da dependência grave ao comparar a trombectomia mecânica com o tratamento padrão.”

Outro destaque é a segurança do tratamento no SUS. “Foi possível perceber o excelente desempenho dos hospitais, que apresentaram condições de realizar o tratamento de maneira adequada. Afinal, o tempo médio entre a chegada do paciente na porta do hospital e o início do tratamento foi de 30 minutos”, conta o professor Pontes Neto.

Além disso, o professor Abud destaca que os resultados positivos do estudo e a aprovação do procedimento no SUS vão permitir uma organização gradual da estrutura de assistência hospitalar para que esse tratamento possa ser disponibilizado para toda a população brasileira. Esse complexo processo de estruturação vai se tornar finalmente possível após essas conquistas.

saiba mais…

Fonte: Jornal da USP

Aplicações de laser e vácuo revertem paralisia facial sem uso de medicamentos

Pacientes recuperaram os movimentos do rosto e a simetria facial. Técnica pode substituir o uso de corticoides, droga usada para tratar o problema

A eficácia do uso de aplicações de laser e vácuo para tratar paralisia facial foi atestada em pesquisa do Instituto de Física de São Carlos (IFSC) da USP. O tratamento permitiu que os pacientes recuperassem o movimento do rosto e a simetria facial. A técnica pode substituir o uso de medicamentos corticoides, que apresentam contraindicações.

Os resultados da pesquisa são descritos em texto publicado na revista científica Laser Physics Letters, em dezembro do ano passado. “O objetivo principal foi recuperar os movimentos dos músculos da face que foram comprometidos pela paralisia facial”, conta ao Jornal da USP o dentista Vitor Panhóca, pesquisador do Laboratório de Biofotônica do IFSC e primeiro autor do trabalho. “Os experimentos foram realizados em pacientes atendidos pelo consultório odontológico do laboratório.”

A técnica inovadora testada na pesquisa foi a endermoterapia, também conhecida como vacuoterapia. “Ela foi usada em conjunto com o laser de baixa potência”, relata o pesquisador. “O método consiste em aplicar o laser e pressão negativa nos tecidos através de ventosas sobre a pele e músculos que apresentam paralisia na face.”

saiba mais…

Fonte: Jornal da USP

Webinar com especialistas sobre o estigma da obesidade e os desafios para a prevenção e controle desta condição

Pode ser uma imagem de 5 pessoas e texto

No Dia Mundial da Obesidade, a OPAS e Ministério da Saúde propõe um debate sobre a abordagem do estigma na qualificação do cuidado da obesidade na APS e no avanço políticas públicas integradas para a prevenção e controle da obesidade. O webinar é aberto ao público e as referências estaduais de alimentação e nutrição, aos profissionais que atuam na Atenção Primária a Saúde, estudantes, pesquisadores e representantes da sociedade civil interessados no tema.

O evento acontece no dia 04 de março, às 17h.

Link do evento: https://youtu.be/C9Z9PUsULz0

Fonte: OPAS

USP promove jornada “Mulheres na Ciência”

A jornada se estenderá por todo o dia 8 de março de 2021, Dia Internacional da Mulher. Durante todo o período haverá eventos destinados a celebrar e a promover a Carreira da Mulher Pesquisadora, em todas as faixas de escolaridade, do ensino médio à pós-graduação.


Programação:  

08h30 – 09h00: Abertura dos trabalhos do dia e das Oficinas, com a presença do Prof. Antonio Carlos Hernandes (Vice-reitor da USP), da Profa. Tania Casado (Coordenadora do ECar- PRG/USP) e do Prof. Sylvio Roberto Accioly Canuto (Pró-Reitor de Pesquisa da USP).

09h00 – 11h00: Oficina “Aspirantes a Pesquisadoras”. Público-alvo: Alunas do Ensino Médio. Profa. Elysandra Figueredo Cypriano (IAG/USP), Profa. Janina Onuki (Diretora do IRI/USP), Pesquisadora Gabriela Ferreira (IRI/USP) e Mestranda Ester Borges (FFLCH/USP).

13h00 – 14h30: Oficina “Talentos em Pesquisa na Graduação”. Público-alvo: Alunas de Graduação. Profa. Roseli de Deus Lopes (Vice-diretora do IEA/USP).

15h00 – 16h30: Oficina “Pesquisa e inovação: da geração do conceito à concessão da patente”. Público-alvo: pesquisadoras de pós-graduação. Profa. Zilda de Castro Silveira (EESC/USP).

17h00 – 17h30: Abertura das Sessões Solenes – Mesas de debates e Premiação, com a presença das seguintes autoridades da Universidade de São Paulo:  Prof. Vahan Agopyan (Magnífico Reitor), Prof. Antonio Carlos Hernandes (Vice-reitor), Profa. Maria Aparecida de Andrade Moreira Machado (PRCEU), Prof. Edmund Chada Baracat (PRG), Prof. Carlos Gilberto Carlotti Jr (PRPG) e Prof. Sylvio Roberto Accioly Canuto (PRP).

17h30 – 18h30: Primeira mesa de debates – “Gênero: um Olhar Feminino”. Convidadas: Professoras Maria Arminda do Nascimento Arruda (FFLCH/USP Mulheres), Maria Cristina Correia Leandro Pereira (FFLCH), Adriana Alves (IGc) e Gabrielle Weber (EEL). Mediação: Profa. Ana Paula Magalhães (FFLCH/PRP).

18h30 – 19h30: Segunda mesa de debates – “Trajetórias de Sucesso de Mulheres na Pesquisa”. Convidadas: Professoras Janina Onuki (IRI), Liedi Legi Bariani Bernucci (EP) e Ester Cerdeira Sabino (FM). Mediação: Profa. Tania Casado (FEA/ECar).

19h30 – 20h00: Cerimônia de entrega do Prêmio “Mulheres na Ciência” às pesquisadoras da USP: Ester Cerdeira Sabino (FM), Larissa Dias da Cunha (FMRP), Lorena Guadalupe Barberia (FFLCH), Lúcia Helena Faccioli (FCFRP), Ludhmila Abraão Hajjar (FM), Maria Rita Passos-Bueno (IB), Marisa Dolhnikoff (FM), Regina Pekelmann Markus (IB) e Thais Mauad (FM), por suas contribuições no enfrentamento à COVID-19.

As oficinas programadas das 9h00 às 16h30 serão transmitidas pelo Canal ECar no YouTube: https://www.youtube.com/c/ECarUSP.

Os eventos programados das 17h00 às 20h00 serão transmitidos pelo Canal USP no Youtube: https://www.youtube.com/canalusp.

Em caso de dúvidas, entre em contato conosco pelo e-mail prp@usp.br ou carreiras@usp.br.

Fonte: Pró-Reitoria de Pesquisa/USP