Qual esquema antirretroviral está associado à maior adesão no Brasil?

A imagem pode conter: textoO Brasil tem sido reconhecido por sua forte resposta à epidemia de HIV. O Governo Federal forneceu, desde o início dos anos 90, versões genéricas de medicamentos antirretrovirais e, em 2013, começou a fornecer tratamento antirretroviral público a todos os adultos com HIV que procuraram atendimento, independentemente do estágio do HIV que estavam enfrentando.

O artigo “Qual esquema antirretroviral está associado à maior adesão no Brasil? Uma comparação dos esquemas de comprimido único, múltiplos comprimidos e com dolutegravir” avalia a adesão a esquemas antirretrovirais de primeira linha e os fatores associados entre indivíduos que iniciaram o tratamento no Sudeste do Brasil para contribuir no desenvolvimento de estratégias-alvo para melhorar os resultados do paciente.

Leia artigo na íntegra em: https://bit.ly/2mPt2aS

Fonte: Cadernos de Saúde Pública

Biblioteca sobre mudanças climáticas tem artigos disponíveis gratuitamente

A imagem pode conter: nadando e água, texto que diz "Climate Change Library"Para apoiar a pesquisa que está sendo realizada sobre mudanças climáticas, Mendeley criou a Biblioteca de Mudanças Climáticas – uma coleção de mais de 5.000 artigos publicados em 412 periódicos da Elsevier em 2018 e 2019.

Os artigos estão disponíveis gratuitamente até o final de 2019 para você fazer o download.

Acesse:
Climate Change Library – Disponível em: https://www.mendeley.com/campaign/climate-change

Fonte: Biblioteca Central da FMUSP

 

Novo número da Revista de Medicina está disponível online

Número da Revista NEJM traz publicação sobre poluição e saúde

publication imageO periódico New England Journal of Medicine, de 22/08/2019,  traz artigos sobre a Crise Climática, Poluição Atmosférica e Era da Medicina Climática.

Veja o sumário abaixo:

ORIGINAL ARTICLES

REVIEW ARTICLE

IMAGES IN CLINICAL MEDICINE

CASE RECORDS OF THE MASSACHUSETTS GENERAL HOSPITAL

EDITORIALS

MEDICINE AND SOCIETY

CORRESPONDENCE

Acesse em: https://www.nejm.org/toc/nejm/medical-journal?query=main_nav_lg

Os artigos podem ser acessados nos computadores da Universidade de São Paulo ou por VPN.

Fonte: Biblioteca Central

 

 

Progressão da Esclerose Lateral Amiotrófica tem relação com alterações no metabolismo de gordura

Pesquisadores do Instituto de Química da USP são pioneiros na análise do conjunto de lipídios do sistema nervoso, conhecimento que pode ajudar a desenvolver novos tratamentos

Arte: Jornal da USP

Um estudo observacional, realizado por pesquisadores do Instituto de Química (IQ) da USP e do Cepid Redoxoma, trouxe achados importantes relacionados à Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), doença neurodegenerativa que afeta os movimentos e a respiração. O grupo investigou todos os lipídios presentes em tecidos do sistema nervoso central de ratos portadores de ELA e mostrou que há um acúmulo de ésteres de colesterol e uma diminuição dos níveis de cardiolipina na medula espinhal desses animais. Os resultados estão no artigo Alterations in lipid metabolism os spinal cord linked to amyotriophic lateral sclerosis, publicado no periódico Scientific Reports em 12 de agosto.

Os lipídios – ou moléculas de gordura – são encontrados em grande quantidade e variedade no SNC e desempenham funções importantes: controlam a fluidez das membranas celulares e formam uma espécie de capa chamada bainha de mielina, que envolve os axônios nos neurônios e facilita a transmissão de impulsos elétricos. Alterações no metabolismo lipídico em neurônios estão associadas ao envelhecimento e ao aparecimento de doenças neurodegenerativas. “Essas alterações poderiam ser consequência do estresse oxidativo e do aumento de radicais livres”, explica Adriano Britto, primeiro autor do estudo. “O nosso objetivo foi entender a relevância dessas moléculas na progressão da ELA.” O estresse oxidativo é o desequilíbrio entre a produção de radicais livres, prejudiciais às células, e de antioxidantes, que as protegem destes danos.

saiba mais…

Fonte: Jornal da USP

Associação entre padrões alimentares baseados em vegetais e risco de diabetes tipo 2

O periódico JAMA Intern Med. 2019 Jul 22 publicou artigo que faz uma meta-análise da associação entre padrões alimentares baseados em vegetais e risco de diabetes Tipo 2.

Os pesquisadores descobriram que as pessoas com maior adesão a dietas predominantemente “vegetais” em geral tinham um risco 23% menor de adquirir diabetes tipo 2 do que aqueles com menor aderência às dietas. Eles também descobriram que a associação era mais forte para as pessoas cujas dietas enfatizavam alimentos saudáveis à base de plantas. 

O estudo teve como objetivo sintetizar quantitativamente evidências observacionais disponíveis sobre a associação entre padrões alimentares baseados em plantas e risco de diabetes tipo 2.

Acesse o artigo completo: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/31329220

Disponível para acesso nos computadores da Universidade ou por VPN.

Fonte: Biblioteca FMUSP

%d blogueiros gostam disto: